quinta-feira, 09 de julho de 2020

Artigos

VISÃO DISTORCIDA

Bom Dia Barretos.

Fui surpreendido por uma notícia no jornal de Barretos, de que o senhor governador poderá na próxima semana, determinar a volta de medidas restritivas para as regiões de Barretos e Bauru, pelo aumento dos casos de covid-19. Informa também que na próxima quarta-feira, será divulgado um novo balanço do plano São Paulo, com a possibilidade de reclassificação das regiões para fases, mais ou menos restritivas de reabertura econômica a partir do dia 15.
Em verdade, o aumento de notificações de covid-19 se deveu ao aumento do número de exames realizados. Tal aumento espelha apenas a evolução de uma virose. O que anima é que a grande maioria dos casos terminou com a cura dos pacientes. Portanto, atrelar o aumento de casos ao relaxamento parcial da quarentena é fingir desconhecer a evolução de uma virose, e que tal aumento, por sua vez, leva também a um aumento da imunidade de uma parcela significativa da população.
Ameaçar pois, com medidas restritivas, apenas pelo aumento do número de casos, é de uma insensatez doentia, ou premeditada, com outras finalidades. Sempre foi dito, que a quarentena visava garantir internação hospitalar a quem apresentasse quadros mais graves da doença, garantindo assim assistência médica hospitalar com leitos e respiradores. Não é o caso de Barretos, que apresenta uma grande folga de leitos de UTI, o que torna injustificável qualquer nova medida restritiva.
Creio que as autoridades da saúde deveriam destacar a nossa cidade como exemplo, pelo número de vagas de UTI disponíveis e a internação com tratamento e cura da quase totalidade dos casos, e não ameaçar com intensificação das medidas restritivas. Estamos usando apenas aproximadamente 25% de nossa capacidade de atendimento, e o que é mais importante, atendendo a toda a região. Portanto, qualquer medida restritiva seria punir a competência de uma comunidade.

Bom Dia Barretos.

Compartilhe: