Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Artigos

Vigilância e discernimento espiritual

Ao refletirmos sobre a prática da vigilância, perceberemos que ela se conecta com as práticas das três obras de misericórdia espirituais incluídas nesta categoria, como: dar bons conselhos a quem necessita, ensinar os ignorantes e corrigir os que erram. Estas atitudes nos ensinam e nos ajudam a sermos capazes de olhar para fora de nós mesmos.
Deste modo, automaticamente através destas práticas, somos influenciados a uma vigilância feita de compaixão e amor ao próximo, que se estende a todos os necessitados, ignorantes e errantes, sendo para eles um auxílio. Diferente de uma sociedade que já os condenam, ser mão estendida para aqueles que querem e precisam se desenvolver.
Ao observarmos o momento presente de nossa história podemos concluir que o mais urgente a se ensinar e a se conscientizar são justamente valores que correspondam a humanização do ser humano como relações e valores de respeito ao próximo, o desenvolvimento do sentido da vida, valores de esperança e paz amparadas pela formação familiar e a autoridade dos pais sob seus filhos. Para isso, precisamos ter com a consciência de que possuímos um importante papel para a realização da paz universal e a luta contra os crescentes atos de violência, maldade, e frutos de desumanização ao qual estamos sempre acompanhando.
Todas essas realidades devem ser realizadas e amparadas com o espírito de discernimento, ou seja, saber escolher o momento oportuno e a maneira correta de exercê-la de forma que cresça e não diminua a estima que cada um dos nossos irmãos tem por si mesmos.
Peçamos a inspiração do Espírito Santo para termos o discernimento necessário para agir e ser Sal da terra e Luz do mundo, como nos pede Jesus.
Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: