Ir para o conteúdo

domingo, 23 de março de 2014

Artigos

Vidas de Amor

O verdadeiro e eterno amor conjugal existe hoje como existiu sempre. Só uma existência baseada na ânsia de tornar alguém feliz para sempre, baseada no desejo ardente de se doar totalmente ao conjugue; baseada na fidelidade pura e sublimadora ao companheiro ou companheira de caminhada, é uma existência realmente feliz, mesmo que seja em meio das dores e dificuldades dos dias em que vivemos.
Gosto de falar e, mais ainda, de escrever, sobre o amor que tenho por minha querida esposa Maria Cecília, pois isto me torna mais responsável por ele, me lembra que a todo instante tenho que cuidar, para que ele persevere e cresça à cada dia, em minha alma.
Hoje, festivamente comemoramos 47 anos de união conjugal. União que pelo Sacramento, nos garante as graças que continuamente recebemos.
Há 47 anos, prometemo-nos que nossa união, seria por todo o sempre e cumprimos a promessa: prometemo-nos fidelidade e cumprimos a promessa; prometemos respeito, carinho, compreensão, tolerância, felicidade e tudo cumprimos e, mais intensamente ainda, cumprimos a promessa que fizemos reciprocamente e perante Deus, pois o próprio Deus tem nos fortalecido com sua presença sacramental. Agradecemos, Maria Cecília e eu, a bondade de nosso Senhor dando-nos sempre disposição para amá-lo sempre mais intensamente, amando, nossos filhos, filhas, nossos amigos e mesmo as pessoas que não conhecemos e cada um dos leitores do Gotas de Serenidade.

Compartilhe: