Ir para o conteúdo

segunda-feira, 25 de outubro de 2021

Artigos

Vaticano publica o Documento Preparatório para o próximo Sínodo

A Secretaria Geral do Sínodo apresentou no último dia 07 de setembro, o texto preparatório e o vadé-mecum que vão orientar as principais temáticas do próximo Sínodo sobre a sinodalidade.
O documento preparatório intitulado “Por uma Igreja Sinodal: comunhão, participação e missão” vem acompanhado de um vadé-mecum, uma espécie de manual adaptável às diferentes realidades diocesanas, e que servirá para facilitar a escuta do povo de Deus e aumentar sua participação.
Dividido em quatro seções (Apelo a caminhar juntos, Uma Igreja constitutivamente sinodal, À Escuta das Escrituras, A sinodalidade em ação: pistas para a consulta ao Povo de Deus) o documento faz notar que a Igreja já é sinodal, mas existe a necessidade de colocá-la em prática através de ações concretas.
Por esta razão, os documentos publicados favorizam, desde agora, esse processo sinodal. Com efeito, o Papa Francisco dará início ao sínodo no dia 10 de outubro, em Roma. No domingo seguinte, 17 de outubro, os bispos do mundo inteiro abrirão oficialmente o tempo de escuta ao povo de Deus que irá até abril de 2022, nas dioceses. Por fim, em outubro de 2023 será a conclusão oficial do Sínodo.
Esse primeiro período sinodal é uma “consulta” aos fiéis. Consulta que propõe fortalecer a “comunhão” e incentivar a “missão” através da questão fundamental que traz o documento: “Como se dá hoje o ‘caminhar juntos’ em sua Igreja particular?” Para isso os fiéis são convidados a refletir sobre as experiências vividas no seio de cada diocese levando em conta as relações existentes entre fiéis, religiosos e clero, mas também em relação às instituições, tais como, as caritativas, os hospitais, as escolas etc.
O texto se encerra reafirmando a necessidade de chegar a ações concretas para a sinodalidade: “a finalidade do Sínodo, e portanto desta consulta, não é produzir documentos, mas antes ‘realizar sonhos, suscitar profecias e visões, fazer florescer as esperanças, estimular a confiança, enfaixar feridas, entrelaçar relações, ressuscitar um amanhecer de esperança, aprendam uns com os outros e criem imagens positivas que iluminam as mentes, inflamam os corações, dão força às mãos”.
Fonte: GaudiumPress

Compartilhe: