Ir para o conteúdo

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Artigos

Vaticano orienta sobre a Quarta-feira de Cinzas durante a pandemia

O Vaticano divulgou recentemente orientações sobre como os sacerdotes podem distribuir as cinzas da Quarta-feira de Cinzas em meio à pandemia de coronavírus. A Quarta-feira de Cinzas marca o início da Quaresma para os católicos.
A Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos emitiu uma nota em que indica aos sacerdotes recitar a fórmula para distribuir as cinzas de uma vez a todos os presentes, ao invés de para cada pessoa.
O padre “se dirige a todos os presentes e apenas uma vez diz a fórmula tal como aparece no Missal Romano, aplicando-a a todos em geral: ‘Arrependei-vos e crede no Evangelho’ ou ‘Lembra-te que és pó e ao pó voltarás’”, diz a nota.
Em seguida, “o sacerdote limpa as mãos, põe a máscara e distribui as cinzas a quem se aproximar dele, ou se for o caso, se dirige aos que estiverem em seus lugares. O sacerdote toma a cinza e a espalha sobre a cabeça de cada um sem dizer nada”.
O costume de utilizar cinzas como sinal de arrependimento, ainda que pareça, não veio dos cristãos. Sua origem remonta aos judeus e ninivitas que cobriam a cabeça de cinzas, demonstrando o desejo de abandonar seus pecados.
Nos primeiros séculos da Igreja, os cristãos adotaram esse costume e o utilizavam na Quinta-feira Santa para indicar que queriam participar da confissão.
Perto de 384 d.C., a Igreja instaura o tempo litúrgico da Quaresma, e é no século XI, uns 600 anos depois, que se retoma a tradição dos primeiros cristãos que indica que, ao iniciar este tempo, deve-se impor as cinzas. Assim surgiu a Quarta-feira de Cinzas, que neste ano será celebrada no dia 17 de fevereiro.
Com informações da CNBB e Church POP

Compartilhe: