Ir para o conteúdo

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Artigos

Vaticano lança livro sobre diálogo inter-religioso

Foi divulgado na terça-feira, dia 12, na Sala de Imprensa da Santa Sé, pelo presidente e o secretário do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, respectivamente, cardeal Jean-Louis Tauran e padre Miguel Ángel Ayuso Guixot, o livro “O diálogo inter-religioso no ensinamento da Igreja Católica”, de autoria do bispo Francesco Gioia, que também esteve presente no evento.
O livro apresenta, tanto aos fiéis católicos como aos seguidores de outras religiões, o pensamento oficial da Igreja, segundo o espírito da “Nostra Aetate”, documento elaborado durante o Concílio Vaticano II que fala sobre a aproximação da Igreja Católica com outras religiões, a fim de promover o diálogo e a mútua colaboração.
O volume, que contém mais de duas mil páginas, compreende uma coleção de textos conciliares, encíclicas, exortações apostólicas e discursos proferidos desde o pontificado de João XXIII a Bento XVI. Também há documentos dos setores da Cúria Romana relativos ao diálogo inter-religioso. Ao todo, são 909 documentos dos quais sete são conciliares. Segundo o cardeal Tauran, o livro oferece fácil acesso ao método e aos fundamentos teológicos do diálogo inter-religioso ensinado e praticado no Magistério da Igreja Católica.
“A novidade consiste na coleção de textos de Bento XVI, cuja contribuição foi decisiva. Em sete anos de pontificado, se contam 188 discursos de Bento XVI sobre o diálogo inter-religioso se comparado aos 591 do Papa João Paulo II em mais de um quarto de século”, explica. “A atenção a este problema foi constante e crescente nos dois pontificados. Bento XVI propôs o ‘diálogo da caridade na verdade’. Um ano depois do discurso de Ratisbona, 38 muçulmanos eruditos escreveram ao papa um documento que expôs os princípios do Islã e manifestava o desejo da compreensão mútua e de uma relação entre o Islã e o cristianismo baseada no amor de Deus e ao próximo. O resultado da iniciativa foi a criação de um Foro islâmico-cristão, que continua a existir na atualidade”, acrescentou o cardeal.
 
Cáritas Internacional promove campanha de solidariedade às vítimas de tufão nas Filipinas
A estimativa da Cáritas nas Filipinas é de que 9,5 milhões de pessoas foram afetadas pelo tufão “Haiyan” que devastou o arquipélago na última sexta-feira, 8 de novembro. Mais de 3 milhões de pessoas na região onde o nível de destruição é considerado máximo e as comunidades afetadas não têm acesso a água potável, comida e eletricidade. A organização lançou uma campanha internacional de arrecadação de donativos em seu site (www.caritas.org), e coordena os esforços de ajuda com a colaboração das dioceses próximas com capacidade para fornecer os suprimentos de emergência. As 96 dioceses filipinas estão em alerta. 
 
www.diocesedebarretos.com.br / [email protected]

Compartilhe: