Ir para o conteúdo

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Artigos

VACINA  POLÊMICA

Bom dia, Barretos.

Finalmente começou a vacinação no Brasil. Claro que não foi na intensidade que queríamos, mas foi dada a partida. Toda a polêmica criada de ser ou não obrigatória a imunização, caiu por terra. Recorreram até ao Supremo que decidiu ser obrigatória a vacinação numa discussão estéril, uma vez que não tem vacina para todos. Em verdade todos querem ser vacinados contra o vírus pandêmico. Em Barretos para o hospital São Jorge, foram destinadas apenas oitenta doses aplicadas em torno de uma hora de vacinação. Dirigindo um hospital que atende covid, sendo médico e com 84 anos me enquadrava em todos os requisitos para recebê-la, mas o fato de ter sido o primeiro a tomar foi apenas um recado para os barretenses de que a vacina é segura. O segundo a tomar foi o Dr. Jorge, chefe da UTI de covid e o responsável por entubar e controlar os respiradores de todos os pacientes que precisam. A terceira foi a Dra. Lidiane responsável pela tomografia, em contato direto com pacientes a fim de através dos exames, confirmar ou afastar a doença. Em seguida médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e sucessivamente os funcionários da linha de frente. As vacinas não foram suficientes, mas na continuidade tenho certeza que atenderemos a todos. Foram apenas seis milhões de doses, distribuídas para todo o país. Tem mais cinco milhões a serem distribuídas e agora os dois milhões de doses da vacina Astrazeneca. A China estará liberando os insumos na próxima semana, para gradativamente atingir cem milhões de doses até o final do ano. Por outro lado, o governo federal já contratou cem milhões de doses com a Astrazeneca. Pela programação, até o final do ano teremos vacinado mais de cem milhões de brasileiros com as duas doses. O lamentável foi ver pessoas torcendo para que a Índia não liberasse as vacinas do Brasil e que a China não enviasse os insumos como forma de desestabilizar o governo Bolsonaro. Falta de brasilidade, de amor ao próximo e jogando até contra si mesmo, que num segundo momento pode ser alcançado pela doença. Esse é o nosso Brasil, não adianta reclamar, vamos agradecer a Deus o início da vacinação e com ela controlarmos a pandemia.

Bom dia, Barretos

Compartilhe: