Ir para o conteúdo

quarta-feira, 22 de setembro de 2021

Artigos

Utópica igualdade

Desde que o mundo é mundo, os homens buscam a todo custo provar que não são iguais; onde primogênitos se sobressaiam aos demais filhos, proprietários de terras aos seus servos, homens às mulheres e assim por diante.
Em pleno século XXI, onde se busca a igualdade a todo custo, me atrevo a dizer que ela é uma mera utopia. Enquanto o desejo de poder e superioridade prevalecerem, jamais existirá igualdade.
A necessidade de ser o primeiro do pódio está desde às disputas olímpicas até às gincanas escolares e vestibulares. Sempre haverá de ter um ganhador e um perdedor em tudo na vida, então como incluir nesse modelo de sociedade a tão almejada igualdade? Se todos realmente quisessem ser iguais, qual o sentido de tantas disputas?
No utópico mundo da plena igualdade, não haveriam ricos e pobres, ganhadores e perdedores. Brancos, negros, amarelos e vermelhos comporiam um arco íris que não precisaria ser símbolo de igualdade de gêneros, pois ela naturalmente já existiria. A guerra política de direita e esquerda se cessaria e crentes e ateus se respeitariam.
Infelizmente essa utopia está cada vez mais próxima de uma triste distopia, que se torna pouco a pouco realidade, tendo como personagem principal o abominável ego humano.

Erika Borges, cronista e escritora- autora do livro “Crônicas e Reflexões da Vida”

Compartilhe: