Ir para o conteúdo

domingo, 07 de setembro de 2014

Artigos

Uso de soja em tratamento para aliviar sintomas da menopausa é questionado

Os exercícios são, sem dúvida, a parte mais importante da terapia alternativa para o tratamento da menopausa. Eles permitem controlar o corpo e as emoções utilizando recursos internos. Cada exercício estimula as glândulas adrenais a converter o hormônio masculino androstenediona em estrogênio. Além disso, reposição hormonal, tratamento com antidepressivos e até mesmo o uso de soja – rica em proteínas e isoflavonas, imitadores do estrogênio, hormônio feminino que apresenta queda a partir dos 40 anos -, são opções para tratar os sintomas do problema.
Temores sobre os riscos da terapia de substituição de estrogênio levaram muitas mulheres a recorrer a produtos de soja para tratar sintomas da menopausa. Entretanto,um experimento clínico publicado no último dia 8,  na revista científica ‘Archives of Internal Medicine’, apontou que esses produtos são tão eficientes quanto um placebo.
Pesquisadores da Universidade de Miami estudaram 248 mulheres entre 45 e 60 anos. Metade recebeu 200 miligramas de isoflavona de soja diariamente e o restante tomou um placebo. Após dois anos, os cientistas realizaram testes em busca de alterações na densidade mineral dos ossos e em sintomas da menopausa. Até o final do estudo, nem os pesquisadores ou mulheres sabiam quem estava tomando qual pílula.
Testes de urina mostraram que as mulheres no grupo da soja haviam ingerido quase 20 vezes mais soja do que o grupo do placebo, mas os pesquisadores não encontraram diferenças significativas na densidade óssea. Houve poucos efeitos sérios nos dois grupos, mas as mulheres tomando soja não mostraram melhora em relação a suores noturnos, insônia, perda de libido ou ressecamento vaginal em comparação com o grupo do placebo.
A menopausa é a parada de funcionamento dos ovários que deixam de produzir os hormônios estrógeno e progesterona. Não existe idade predeterminada para o início dos sintomas. Geralmente ocorre entre os 45 e os 55 anos, no entanto pode ocorrer a partir dos 40 anos sem que isto seja um problema. Entre os principais sintomas estão suores noturnos, ondas de calor, insônia, menor desejo sexual, irritabilidade, depressão, ressecamento vaginal, dor durante o ato sexual e diminuição da atenção e memória. 

Compartilhe: