Ir para o conteúdo

segunda-feira, 04 de março de 2024

Artigos

Uma solução para congestionamento das cidades

Viver em uma grande cidade tem muitas vantagens, mais oportunidades de empregos, economia diversificada, hospitais, escolas, parques, museus, bibliotecas, teatros, cinemas, galerias de arte, restaurantes, festivais etc. Mas também tem grandes problemas, muitos veículos, congestionamentos, atrasos, poluição do ar, sonora, superlotação no transporte público, criminalidade…
Entre tantos problemas, parece que o mais simples de resolver é o do congestionamento e os derivados, como poluição do ar. Tecnologias existentes como o GPS e aplicativos como Waze e Here já alertam sobre os congestionamentos, os acidentes, as obras nas pistas e indicam rotas alternativas.
Um grande problema é o mau motorista, o que trafega lentamente na pista da esquerda, o que não facilita a ultrapassagem, nem a entrada de veículos vindos das pistas secundárias, fica muito próximo do carro da frente, causa acidente… Todos esses problemas são solúveis com placas sinalizadoras que orientem a ficar distante do carro da frente, facilitar entrada na pista, utilizar a pista da esquerda para ultrapassagem… E com câmeras que fiscalizem e multem. Já poderiam fazem isso!
Ainda temos outros problemas como não sinalizar mudança de faixa ou direção, buzinar excessivamente, trafegar pelo acostamento, não respeitar preferencial etc., nada que um sistema de fiscalização por câmeras e multas não corrija.
Muitas cidades adotam o rodízio como solução para o congestionamento, uma solução que prejudica muitos, menos os que possuam mais veículos com chapas diferentes. Uma solução simples é aproveitar o fato que quem tem um veículo, possui também um celular com GPS. As cidades poderiam desenvolver um aplicativo para controlar o acesso às vias que congestionam, oferecendo vagas para trafegar aí por horário delimitado. Sem o aplicativo, não pode trafegar.
O aplicativo faria cálculos para chegar à via, indicando que velocidade o motorista deve seguir, tornando previsível o fluxo de veículos. Em caso de acidente, o aplicativo reorganizaria as liberações para acesso à via, transferindo o congestionamento da via para uma fila de espera, sem queima de combustível e perda de tempo inútil no tráfego, seria um congestionamento virtual. Câmeras leitoras de chapas fiscalizariam e acionaria a polícia para os reincidentes.
Abre-se ainda a possibilidade de se cobrar pedágio em horários diversos. O aplicativo deveria estar integrado aos aplicativos de rotas para saber exatamente que pedaço da via o cliente estará utilizando. Para universalizar e facilitar o uso, o aplicativo deveria ser desenvolvido por um conjunto de cidades, oferecendo ainda gratuitamente a todas outras cidades do país, quiçá da América Latina.
O aplicativo ainda poderia priorizar carros de passageiros (táxi, uber etc.), afinal estes contribuem para se ter menos carros procurando vagas para estacionar. Sem dúvida, melhorar o transporte público é essencial para o sucesso na resolução do congestionamento de vias.
A tecnologia já existe, necessitando apensas a tal vontade política e um grupo de políticos que saibam somar e multiplicar.

 

 

 

Mario Eugenio Saturno
(cientecfan.blogspot. com)
é Tecnologista Sênior do
Instituto Nacional de Pesquisas
Espaciais (INPE) e congregado mariano.

Compartilhe: