Ir para o conteúdo

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Artigos

Um ideal comum

Dois homens, Pedro e Paulo, tiveram, após serem chamados por Jesus, o mesmo ideal: apesar de terem estruturas pessoais totalmente diferentes, se propuseram a seguir os ensinamentos de Cristo.
Ambos conviveram com as realidades que anunciavam: a justiça e a verdade, e morreram por elas.
Pedro e Paulo foram martirizados em Roma, um representando a Instituição, a Igreja; e o outro testemunhando a Missão. Como seguidores de Jesus Cristo, estes dois apóstolos se destacaram como homens de serviço, trabalhando pela liberdade das pessoas, promovendo a vida e rejeitando todas as formas de opressão e morte.
Tornaram-se verdadeiros líderes, despojando-se de todas as vontades pessoais e renunciando aos mínimos desejos. São exemplos marcantes das atitudes que devem ter qualquer líder, quer seja no plano material, quer no plano social, político ou no plano espiritual. O alvo principal de todo líder não deve nunca ser a sua esposa, mas o objetivo definido para a sua ação. Em qualquer atividade, o alvo deve ser o bem comum, o bem das pessoas. Se o foco for o bem próprio, esse líder está traindo a sua missão, podendo estar também desviando o bem público, e cuidando mal daqueles que nele confiam.
O povo hoje, numa realidade tão próspera, é mal conduzida pelo despreparo, desprezo, pela baixa preocupação com o bem dos mais sofridos. Especialmente na política aqueles que nunca tiveram voz, nem vez, vivem sem perspectiva, e sem esperança.
O cristão, e o católico em particular, como Pedro e Paulo, deve estar atento para a atividade dos falsos líderes, que buscam o poder ou o dinheiro para satisfazer as suas ganâncias e da maneira que puderem, denunciá-los, combatê-los, e substituí-los, como líderes verdadeiramente cristãos, como foram Pedra e Paulo, nada temendo com as consequências que as suas atitudes possam lhes trazer, confiando na Providência Divina.

Compartilhe: