Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Artigos

Um coração humilde

Para educar, avaliar e transformar uma determinada sociedade, se faz necessário ter clareza e coerência de princípios, pois de nada adianta falarmos sobre educação, paz, valores que fundamentam uma sociedade e logos após agirmos de uma outra maneira que contradiga a nossa explanação intelectual ou moral.
Sabemos que palavras ditas não são suficientes para formar e gerar “testemunho” , ou ainda expressões de “diálogos”. O diálogo e o testemunho se manifestam como formas de acolhimento e abertura ao outro, eles caminham em conjunto rumo à tão sonhada paz, nos direcionando para as necessidades do outro, para o acolhimento e uma abertura que gera clareza e entendimento de que o meu próximo tem a me dizer e qual a realidade que ele vive sem se deixar levar por tipos de preconceitos e julgamentos que nos impedem de escutarmos.
De fato, essa experiência não pode ser compreendida em uma realidade marcada pela falta de tempo, pela indiferença, pela individualidade, e por valores que nos são gerados atualmente por “falsas sensações de paz”, como por exemplo: a paz como isolamento, quando na verdade a paz é fruto relacional, é fruto do amor da solidariedade etc. E, como exemplo desta falsa noção de paz na atualidade, nascem diversas outras formas, sempre como um comportamento que nos individualiza e nos faz viver cada vez mais distraídos e esquecidos do outro, dando muito mais valor às coisas materiais.
Diante desta triste realidade, devemos ter a esperança de que podemos ser melhores e superarmos estes desafios atentos aos apelos de Jesus quando Ele nos diz: “Aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração” (Cf. Mt 11,29). A humildade faz parte deste processo, ela é infalível e portadora da “paz”, que é fruto do testemunho do diálogo e da união, pois o humilde é aquele que sabe ouvir, acolher, e se colocar no lugar do próximo. Precisamos urgentemente de um coração humilde como o de Jesus. Rezemos sempre: Jesus manso e humilde de coração, fazei o nosso coração semelhante ao vosso!
Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: