Ir para o conteúdo

sábado, 27 de novembro de 2021

Artigos

Três sacerdotes morreram salvando vidas e almas de passageiros no Titanic

Um usuário do Twitter recentemente postou fotos de três heroicos sacerdotes que deram suas vidas pelos passageiros a bordo do Titanic antes dele afundar, em 15 de abril de 1912, como divulgou o site ChurchPOP.
O tweet de @AdhucTecumSum diz: “Os três padres católicos a bordo do RMS Titanic que recusaram lugares nos botes salva-vidas, optando por dar suas vidas ministrando aos passageiros que estavam presos no navio”.
Os três padres eram Thomas Byles (42 anos), da Inglaterra, Josef Benedikt Peruschitz, O.S.B. (41 anos) da Baviera, e Juozas Montvila (27 anos) da Lituânia. Todos morreram no navio e nenhum dos corpos foi recuperado.
Em um site dedicado a padre Thomas Byles, sobreviventes explicaram suas experiências com o padre no navio. O Papa São Pio X até descreveu o sacerdote como um “mártir” da fé.
“Quando ocorreu o choque, fomos atirados para fora das beliches… Ligeiramente vestidos, nos preparamos para descobrir o que havia acontecido. Vimos antes de nós, descendo o corredor, com a mão levantada, padre Byles. Nós o conhecemos porque ele nos visitou várias vezes a bordo e celebrou missa para nós naquela mesma manhã.
‘Fiquem calmos, meu bom povo’, disse ele, e então saiu pela terceira classe dando absolvição e bênçãos…Alguns de nós ficaram muito exaltados, e então o padre levantou novamente a mão e imediatamente eles se acalmaram mais uma vez. Os passageiros ficaram imediatamente impressionados com o autocontrole absoluto do padre. Ele começou a recitação do rosário. As orações de todos, independentemente do credo, foram misturadas e todas as respostas, ‘Santa Maria’, foram altas e fortes”, diz Helen Mary Mocklare, passageira sobrevivente do Titanic de terceira classe.
Outro testemunho diz que “quando toda a agitação se tornou amedrontadora, todos os católicos a bordo desejaram a assistência dos padres com maior fervor. Os padres reanimaram os condenados à morte para dizerem atos de contrição e se prepararem para encontrar a face de Deus. Eles conduziram o rosário e os outros respondiam. O som da oração irritou alguns passageiros e alguns ridicularizaram aqueles que rezavam e começaram a dançar ao redor deles. Dois padres empenharam-se continuamente na absolvição geral dos que estavam para morrer. Aqueles que entraram nos botes salva-vidas foram consolados com palavras comoventes. Algumas mulheres recusaram-se a separar-se dos maridos, preferindo morrer com eles. Finalmente, quando não havia mais mulheres por perto, alguns homens foram autorizados a entrar nos barcos. Foi oferecido ao padre Peruschitz um lugar, mas ele recusou”. Fonte: ChurchPOP

Compartilhe: