Ir para o conteúdo

sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Artigos

Síndrome do jaleco branco: já ouviu falar?

Olá!
A síndrome do jaleco branco é uma denominação usada para descrever pessoas cuja pressão arterial é persistentemente elevada quando medida no consultório médico ou clínicas e normal em outras ocasiões.
É muito comum encontrar pessoas que se sentem ansiosas quando precisam se consultar com um médico, dentista ou qualquer outro profissional de saúde e podem apresentar os mais diversos tipos de sintomas físicos que variam desde uma tremedeira e tensão muscular a náuseas e ânsia de vômito. Essa tensão resulta em um aumento pontual da pressão arterial. O diagnóstico se dá apenas após várias medidas da pressão arterial para que seja constatadas as alterações em diferentes ambientes. As causas dessa síndrome são as mais diversas, pois trata-se de uma patologia multifatorial e pode atingir qualquer pessoa.
Tem-se sugerido que tais pacientes têm mais risco de desenvolver outros problemas cardíacos no futuro. Por isso, ainda que a pressão alta só se manifeste em eventos específicos e não no dia a dia, é importante se cuidar. Porém, antes é preciso descartar a hipertensão arterial e realizar um exame chamado MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial) – um aparelho que vai aferir a pressão por 24 horas. Se detectado a hipertensão é preciso o uso de medicamentos além das mudanças dos hábitos de vida.
Se o diagnóstico for da síndrome do jaleco branco, vale testar algumas técnicas:
– Psicoterapia: fazer terapia ajuda a entender melhor os medos e a lidar com eles de uma forma mais saudável;
– Levar um acompanhante pode ser útil. Contar com a companhia de um familiar ou de um amigo próximo pode te dar todo o apoio que você precisa.
Portanto, lembre-se sempre: pressão alta é uma doença silenciosa – sem sintomas – por isso a importância das medidas regulares da pressão. Fale sempre com um cardiologista.
Um ótimo domingo e até o próximo!

Daniele Rezek
Cardiologista
CRM 145.887 | RQE 64.850

Nos acompanhe nas redes sociais: @dra.danielerezek ou  Dra. Daniele Rezek

Dúvidas e sugestões, nos envie um e-mail: [email protected]

Compartilhe: