Ir para o conteúdo

domingo, 05 de janeiro de 2014

Artigos

SER MELHOR

O início de um novo ano desperta em nós o desejo de recomeçar. Mais que simplesmente fazer de novo, o novo ciclo concede-nos a oportunidade de fazer diferente, de fazer melhor. Se antes o segredo do sucesso estava em definir objetivos, elaborar planos e traçar metas, práticas sob o domínio de um seleto grupo, o dos bem-sucedidos, hoje estes conceitos e estratégias estão disponíveis, acessíveis a todos. No entanto, percebe-se cada vez mais, que o 'X' da questão não está em no fazer por si só.
Se por um lado os recursos e práticas para obter sucesso se tornaram acessíveis, por outro, o humano que existe em nós, torna-se cada vez mais inacessível. Abortamos as oportunidades que o início de um novo ano nos concede, fracassamos e abraçamos a desilusão porque imaginamos, fundamentados teórica e tecnicamente que a resposta certa está fora de nós. Embora de difícil aceitação, a conclusão é óbvia: não conseguimos fazer melhor porque não conseguimos Ser melhor.
Ser melhor não é um conceito, não é um ato, não é teoria ou técnica. Ser melhor é uma atitude, uma ação continuada, permanente, que envolve o humano em sua totalidade: o existir, o pensar, o sentir, o agir.  Em sua integralidade (por inteiro) e unicidade (como único), o Ser humano abre-se à necessária e permanente inter-relação, em suas diversas dimensões: com as raízes de sua existência, consigo próprio, com os outros seres humanos nos diversos aspectos, com o habitat. 
A macro-atitude do Ser melhor requer o zelo por micro-atitudes fundamentais: 1. Ser presente: mais que registrar o nome na lista de presença é fundamental estar por inteiro, completo (físico-mental-emocional-espiritual), independentemente do grau de complexidade. 2. Ser acolhedor: abrir-se, disponível, sobretudo, ao diferente, ao novo, servindo-se do discernimento para permitir ou não, que algo faça parte de você e sua história.  3. Ser contemplativo: antes de tudo, mirar profundamente, mais que com os olhos, com o coração, ultrapassando as primeiras impressões, o imediatismo, a impaciência, o pré-conceito. 4. Ser atitude: comportar-se permanentemente de forma sensata, madura e equilibrada, por palavras ou obras. 
Esta combinação (presença, acolhimento, contemplação e atitude) potencializa o ser humano para que, consciente de si, em todos os aspectos e dimensões, abrace livre e responsavelmente a missão de, muito mais que existir, buscar sentido à sua existência, fazendo a diferença, sempre para melhor.  O ano novo nos abraça! 2014 concede-nos a oportunidade para recomeçar! Depende de mim, de você, de nós Ser Melhor!
 
Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em Psicologia

Compartilhe: