sexta-feira, 04 de dezembro de 2020

Artigos

Ser luz e espalhar vida

Ao afirmarmos que a Palavra de Deus é viva e atual, somos chamados a compreender que ela é “viva”, no sentido em que é capaz de responder e propor vitalidade, e “atual” porque ela também é capaz de ser atualizada no exato momento e contexto em que é meditada propondo caminhos para discernimento e ações, pois como sabemos, dia ou noite, não importa para o Senhor, pois Sua ação é sempre para além do tempo.
No evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos encontramos: “Naquele dia, ao cair da tarde, Jesus disse aos discípulos: ‘Passemos para a outra margem!’ (…). Veio então uma ventania forte que as ondas se jogavam dentro do barco, e este se enchia de água (…). Jesus levantou e repreendeu o vento e o mar: ‘Silêncio! Cala-te!’. O vento parou, e fez-se uma grande calmaria. Jesus disse então: ‘Por que sois tão medrosos? Ainda não tendes fé?’. Os discípulos sentiram grande temor e comentavam uns com os outros: ‘Quem é este, a quem obedecem até o vento e o mar?’” (Cf. Mc 4,35-41).
Ao observarmos e meditarmos esta passagem perceberemos valorosos sinais, ela precisa ser compreendida a partir da nossa realidade atual. Assim como Jesus convidou os discípulos para passarem para outra margem, somos também convidados e impulsionados a mover-nos, a termos a coragem de caminhar. E além deste ponto somos chamados também a ter fé, abandonar os medos, ter confiança diante das dificuldades e reconhecer Jesus como Senhor e Mestre.
O convite apresentado nos evangelhos é sempre de Jesus, mas a resposta dada é sempre nossa. No relato aos discípulos, eles tomaram a decisão na realidade pessoal deles, e nós somos chamados a tomarmos a nossa de acordo com a realidade atual, não podemos achar que na Palavra de Deus encontraremos respostas prontas ou palavras mágicas.
Na Palavra de Deus encontraremos renovação, vitalidade, força e motivação para enfrentarmos com fé nossas dificuldades. E, se estivermos bem, entoaremos ação de graças e seremos impulsionados a sairmos em busca daqueles que mais precisam. Esse é o sentido, espalhar esperança onde há trevas, onde a morte está habitando através da falta de fé, falta de ânimo.
No início deste novo ano tenhamos a coragem de fazer esta experiência de transformação. Sejamos luz e espalhemos vida!

Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: