Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Artigos

Ser como os doze no caminho com Jesus

Ao refletirmos sobre a caminhada de Jesus, bem como o modelo de seus primeiros seguidores, perceberemos que primeiramente Ele chama os para estar consigo, e assim serem capazes de sentir a sua presença e nesta atitude aprender. Aos poucos, através da caminhada, Jesus nos revela o mistério do reino assim como revelou aos seus discípulos.
Estar com Jesus e receber seus ensinamentos são condições fundamentais da nossa conversão. Este processo é como uma frase reflexiva que outro dia circulava nas redes sociais dizendo: “Aceitar Jesus e encontrar-se com ele, não é mudar de igreja, mas sim mudar de vida”. De fato, quando nos encontramos com Jesus, somos chamados a nos converter, como a exemplo dos discípulos, que ao se encontrarem com ele tiveram suas vidas totalmente transformadas. O encontro com Jesus, faz-nos descobrir a nossa verdadeira essência.
Portanto, precisamos deixar-se ser conduzidos pelo Senhor em uma atitude de entrega total, e não de um modo a satisfazer as nossas expectativas, até mesmo ao ponto de querer manipulá-lo a fazer as nossas vontades que na verdade não passa de meras ilusões.
Ao tomarmos consciência desta realidade, cabe a nós fazermos um exame de consciência: que atitude tiveram os 12 discípulos que os tornaram capazes de escutar a Jesus? Quais atitudes nos tornam capazes, hoje, de escutar e seguir a Cristo? Quais as condições fundamentais para sermos inteiramente do Senhor?
E assim, perceberemos que a nossa vocação é amar e servir. O encontro com Jesus favorece o renascimento da verdadeira alegria e o sentido da nossa vida.O Mestre escolhe os discípulos; os discípulos são aprendizes e são aqueles que prolongarão a ação de Jesus estando próximo e intimamente ligado em comunhão com Ele.
Nos perguntemos hoje: como está a minha vida de oração, minha espiritualidade e minha comunhão com o Senhor? Qual é minha proximidade com Deus?
O Senhor nos chama a segui-lo mais de perto, façamos a nossa experiência, sejamos “sal da Terra e luz para o mundo”.

Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: