Ir para o conteúdo

domingo, 20 de outubro de 2013

Artigos

SER AGRADECIDO

A gratidão é expressão do reconhecimento de uma pessoa por alguém que lhe prestou um benefício, auxílio ou favor. A quem tem a gratidão como valor, agradecer ultrapassa o favor recebido e, muito mais que ato isolado, revela-se uma atitude, um contínuo, externando um jeito de ser, pensar, sentir e agir: agradece a tudo, a todos. Ao supremo Criador e às quase imperceptíveis razões, responde, constante e gratuitamente: muito obrigado.
Embora figure entre as mais nobres virtudes humanas, na prática, a gratidão é pouco cultivada. Tomando como referência um célebre escrito sobre o tema, a passagem bíblica na qual Jesus cura 10 leprosos e apenas um volta par a agradecer, sabe-se que, quantitativamente, 90% das pessoas que recebem um favor, não agradecem. 
Porque a maioria das pessoas é ingrata? Somos educados e treinados a nunca depender de ninguém. Precisar de alguém nos custa muito, porque 'o precisar' é tido como sinônimo de fracasso, humilhação e incompetência. Muitos exibem o 'eu nunca precisei de ninguém' como troféu.  O sentimento enganoso de independência e auto-suficiência revela, na verdade, alto nível de insensibilidade, que empodera o homem da sensação de que pode tudo, sozinho; cego, alheio ao que o cerca e a tantos favores recebidos, direta e indiretamente, vive a ilusão de não depender de ninguém, tornando-se, consequentemente, ingrato. 
A cultura da ingratidão é reforçada ainda mais pelo fato de vivermos sob o pesado fardo da obrigação. Obrigados a dizer 'bom dia, boa tarde e boa noite', obrigados a pedir 'por favor', obrigados a responder 'muito obrigado'… A lei da obrigação contraria a liberdade e a espontaneidade, de forma que, na primeira oportunidade, despimo-nos destes acessórios, que não correspondem à verdade do coração. O ser humano maduro e equilibrado, assim como recebe e agradece, oferece-se a si próprio e ao que possui com alegria, leveza, liberdade e gratidão, sem que isto lhe custe ou pese. Não espera retribuição, pagamento, agradecimento; simplesmente ama, vive, agradece, se doa… 
Na passagem bíblica que inspira o cultivo da gratidão, o fato de os 9 curados não voltarem para agradecer não fez com que Jesus retirasse deles o favor concedido.  No entanto, o que voltou recebeu muito mais do que pediu, precisava e esperava. "A tua fé te salvou!". Muito mais que ser curado fisicamente, ele recebeu felicidade e plenitude, sem limite, livre da doença do corpo e, sobretudo, das doenças que assolam a alma e o coração. Os outros nove seguiram seu caminho, livres da lepra, apenas. Experimentemos, cultivemos e promovamos a cultura da gratidão. Quem agradece é nobre, é forte, é sensível, é humilde, é humano, naturalmente, sem querer sê-lo. Sejamos agradecidos!
 
Ivanaldo Mendonça
Padre, Pós-graduado em Psicologia

Compartilhe: