Ir para o conteúdo

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Artigos

Seminário sobre Acordo Brasil – Santa Sé teve participação de representantes da Diocese de Barretos

Com a presença de 232 participantes, aconteceu segunda-feira e ontem, no Auditório da Faculdade de Direito de Ribeirão Preto, no Campus da USP, em Ribeirão Preto (SP), o Seminário Acordo Brasil – Santa Sé: implicações jurídicas e administrativas.

As conferências tiveram o objetivo de apresentar uma introdução e explicação geral do texto do Acordo Brasil – Santa Sé, e abordaram as questões práticas, administrativas e jurídicas do acordo.

O seminário contou com a presença de bispos e arcebispos das dioceses do Estado de São Paulo, bem como seus representantes na área do economato e da administração diocesana e paroquial, os responsáveis pela administração dos Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica, das Associações de Fiéis, outros organismos eclesiais, Seminaristas e alunos da Faculdade de Direito. Da Diocese de Barretos participaram Dom Milton Kenan Júnior, bispo diocesano, Lucila Castro, postuladora da causa de beatificação e canonização do Servo de Deus Pe. André Bortolameotti, Luciana Silva, da administração da Cúria Diocesana, e Décio Maruco, responsável pela contabilidade diocesana.

"O acordo não é privilégio, mas é um reconhecimento dos direitos da Igreja para que ela exista, tenha o seu papel na sociedade (…). O acordo não é contra a laicidade, ao contrário, é um exercício da laicidade (…)", destacou Frei Evaldo Xavier Gomes, OCarm, Assessor Jurídico e Canônico da CNBB.

O Acordo entre a República Federativa do Brasil e a Santa Sé relativo ao Estatuto Jurídico da Igreja Católica no Brasil, foi firmado na Cidade do Vaticano, em 13 de novembro de 2008.

O evento foi promovido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pela Arquidiocese de Ribeirão Preto, com o apoio da Faculdade de Direito da USP de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP), do Centro de Estudos da Arquidiocese de Ribeirão Preto (Cearp), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil – Regional Sul 1 e da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB).

Compartilhe: