Ir para o conteúdo

segunda-feira, 22 de abril de 2024

Artigos

Sedentarismo: por que é tão perigoso para a saúde?

Olá!

Sedentarismo é definido como a falta ou diminuição de atividades físicas ou esportivas (ou seja, quem não realiza, segundo a Sociedade Americana de Cardiologia, 150 minutos de atividade moderada ou 75 minutos de atividade intensa por semana). É a doença do século e está associada ao comportamento cotidiano decorrente dos confortos da vida moderna.
Na era da tecnologia, estamos produzindo mais e nos movimentando cada vez menos. E talvez por isso estejamos pagando um alto preço. O sedentarismo leva a algumas doenças como obesidade, doenças cardíacas, reumatológicas, ortopédicas, metabólicas, ansiedade, prejuízo ao sono e alguns tipos de câncer (como de mama).
Hoje, sabemos que mesmo quem pratica exercícios físicos regulares mas apresenta um comportamento sedentário (que é o quanto de tempo nós permanecemos parados-deitados, sentados ou em pé- ao longo do dia) também eleva o risco de doenças. Um estudo norueguês publicado em 2016 na revista LANCET com mais de 1 milhão de pessoas mostrou que praticar exercícios moderados por mais que 60 minutos por dia atenua os riscos de mortalidade, mas não é capaz de reduzir o impacto negativo do excessivo tempo de comportamento prioritariamente sedentário no trabalho, em casa ou lazer (mais que 10 h/dia). Alguns estudos recentes demonstram que o ideal é darmos no mínimo 8 mil passos diariamente, reduzindo, assim, os riscos de mortalidade precoce por doenças que poderiam ser evitadas.
Portanto, para abandonar o sedentarismo é preciso uma mudança de comportamento. Se colocarmos a atividade física como um compromisso do nosso dia a dia, com um grau de importância semelhante ao trabalho, então mesmo um intervalo pequeno de tempo pode ser usado para treinar. Para ser mais ativo durante o dia, tente começar trocando o carro por pequenas caminhadas

Um ótimo domingo e até o próximo!

Compartilhe: