Ir para o conteúdo

segunda-feira, 20 de maio de 2024

Artigos

Saúde em Barretos: dinheiro em volume absurdo e qualidade sofrível

A saúde em Barretos e seu principal hospital (Santa Casa) sempre foram pontos qualificados de atendimento à grande massa populacional da cidade e região.
O que ultimamente se vê com frequência? O atual gestor da Fundação Pio XII criticando o passado recente (5 anos) acusando médicos e gestores filantrópicos de incompetentes e desonestos.
0 que de fato está acontecendo?
O mais grave de tudo: péssimo atendimento ao SUS com a ridícula postura de os encaminhar para fora da cidade num sacrifício inaudito e insensível aos menos favorecidos. Uma Santa Casa funcionando com “portas fechadas”, significando um sacrilégio perante a sua função pública.
Esta semana, assistimos fatos, confessados pelo próprio gestor, de investimento fantástico, no Sergipe, com direito a foto com o Presidente da República e e políticos notoriamente satisfeitos no extremo norte do País.
Dias após, publica-se que a Prefeitura de Barretos, colocou na saúde, isto é, nas mãos desse gestor, que na prática é quem nomeia os secretários da saúde, um acréscimo de 33 por cento dinheiro na só nesse ano.
Observe-se que nos anos anteriores já foram enormes o recursos vindos para Barretos por conta do período pandêmico. Detalhe curioso: nunca se publica os valores absolutos de recurso e só se fala em porcentagens que são informações relativas, obviamente, escondidas ou sonegadas.
A ridícula situação por que passa o munícipe barretense, é assistir essas notícias dadas como fantásticas (na verdade um fato) constituindo-se num verdadeiro descaso, com uso de recursos públicos fora e o povo sendo aqui pessimamente atendido.
Quando se afirma essa perda de qualidade, quer se dizer que 92 por cento das doenças cuidadas na Santa Casa e na cidade nada têm a ver com câncer. Se o hospital de câncer satisfaz (ainda) a um mínimo de qualidade, o restante de 400 mil habitantes da região, passa por uma experiência sofrível nestes últimos 5 anos, em mãos de uma misteriosa entrega da saúde para mãos particulares, monopolizadoras e insensíveis ao interesse público.
Vale aqui registrar que a secretaria da saúde foi ocupada por dois indicados pelo gestor/dono da Fundação sendo um deles seu funcionário na empresa, afastado de súbito e sem explicações públicas.
O outro secretário, recém afastado, considerado amigo estreito do Sr. Gestor, saiu também insatisfeito (e insatisfazendo), sem muita clareza na nova troca repentina.
No balanço final, fica o paradoxo desanimador: resultado ruim do atendimento de nosso povo mais carente, funcionários explorados, médicos afastados e pejorados, ex gestores desonrados injustamente e o gestor ganhando como marketing uma foto de primeira página com o Presidente da República, certamente conseguida pelo Senador sergipano de Lagarto na pretensão de divulgar prestígio politico. Até que foi, sim…tudo, menos para Barretos.
Dir-se-ia: é a banda passando e o povo, apanhando não sei se feliz a ponto de aplaudir. Enfim, num mundo cheio de demagogias, tudo é possível. E as nossas autoridades públicas em profundo sono repousante.

 

 

Dr. Fauze José Daher,
Médico e Cirurgião, Ex Presidente
da Associação Paulista de Medicina,
Ex Diretor Clínico da Santa Casa
de Barretos e Advogado

Compartilhe: