Ir para o conteúdo

segunda-feira, 17 de junho de 2024

Artigos

Santa Rosa de Lima, virgem, Padroeira da América Latina

Seu nome de batismo, dado em Lima, no Peru, onde nasceu em 1586, era Isabel Flores. Ganhou, porém, o apelido “Rosa” por sua extraordinária beleza. Inteligente e, desde pequena, muito religiosa, consagrou-se totalmente a Deus, como o fizera sua “mãe espiritual”, a mística italiana Catarina de Sena.
No ano de 1606, com vinte anos de idade, entrou para a Ordem Terceira Dominicana. Rosa sentia-se atraída pela solidão. Assim é que ela preferia permanecer, rezando, praticando penitências para alimentar seu amor a Deus, mas fazendo tudo isso com a prática de auxílios contínuos aos filhos prediletos de Deus: os pobres. Na casa paterna, criou uma espécie de asilo para os necessitados, onde dava assistência às crianças e aos idosos abandonados, sobretudo de origem indígena. Rosa, uma mestiça, era sensível aos maus tratos de que eram vítimas seus irmãos indígenas, oprimidos e explorados pelos colonos espanhóis.
Rosa morreu jovem. Tinha apenas 31 anos, uma idade muito próxima à que se atribui a Cristo, seu místico Esposo. Seus restos mortais repousam em Lima, capital do Peru, na Basílica do Santo Rosário.
Morta no dia 24 de agosto de 1617, foi canonizada por Clemente X em 1671, sendo a primeira santa da Igreja nascida na América. A santa patrona da América Latina é também padroeira das Índias e das Filipinas

Compartilhe: