Ir para o conteúdo

quinta-feira, 30 de maio de 2024

Artigos

Santa Dulce dos Pobres

Foi canonizada no domingo, 13 de outubro, Maria Rita Lopes, em vida conhecida por Irmã Dulce ou o Anjo Bom da Bahia, a primeira santa nascida no Brasil, chamada agora Santa Dulce dos Pobres. Em vida, a irmã Dulce já gozava fama de santidade, pela sua opção preferencial pelos pobres, na prática, buscando muito cedo e de todas as formas, meios para viabilizar o atendimento às pessoas mais desfavorecidas da sociedade, os esquecidos, os moradores de rua, os doentes, os desamparados de modo especial às crianças.
Dedicou toda a sua vida a uma obra social sem viés ideológico, uma obra que colocou a caridade em primeiro lugar, atendendo os mais pobres. Não mediu esforços para isso, e também no exemplo pessoal, seguindo realmente o Evangelho, na coerência de vida como Religiosa, no amor à Igreja, ao seu compromisso com a vida consagrada, e sempre com a alegria de servir.
Durante muitos anos dormiu numa cadeira de madeira, para cumprir uma promessa em favor da recuperação da saúde de uma pessoa próxima, mostrando o quanto levava a sério a palavra empenhada.
Irmã Dulce é um exemplo a ser apresentado às atuais gerações, acomodadas no individualismo e no consumismo, e de como é possível fazer o bem ao próximo, com sacrifício e dedicação, perseverante na fé. Ela buscava o apoio de quem quer que fosse, para atender aos mais necessitados da sociedade.
O ex-presidente José Sarney fez questão de ir à sua canonização, em Roma, junto à comitiva brasileira, por ter lançado o nome de Irmã Dulce ao Prêmio Nobel da Paz, em 1988. Um ano antes de falecer, esteve com o Papa São João Paulo II, em Salvador, durante a sua visita ao Brasil. Multidões saíram às ruas de Salvador para se despedir de Irmã Dulce, em suas exéquias. O Anjo Bom da Bahia ganhou a simpatia de todo o Brasil, e hoje chegou às honras dos altares.
Esperamos agora que o exemplo de santidade de Santa Dulce dos Pobres contagie especialmente os jovens, fazendo-os motivarem-se pelo bem, pelas nobres causas que visem à dignidade da pessoa humana. Hoje em muitos campos somos chamados a evangelizar, com a esperança sempre renovada no amor de Deus, que quer promover a vida para todos, e conta com a nossa disponibilidade ao serviço do próximo.
Em suma, Irmã Dulce é uma demonstração de como se pode ser santo no mundo de hoje e que a santidade está ao alcance de todos. Santa Dulce dos Pobres intercedei pelo Brasil.

ValmorBolan é Doutor em Sociologia. Professor da Unisa. Ex-reitor e Dirigente (hoje membro honorário) do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras. Pós-graduado (em Gestão Universitária pela OUI-Organização Universitária Interamericana) com sede em Montreal-Canadá.

Compartilhe: