Ir para o conteúdo

domingo, 16 de março de 2014

Artigos

SABEDORIA

Bom Dia Barretos. 
Creio que DEUS, testou mais uma vez, minha fé e minha força interior de aceitar e superar as dificuldades colocadas em meu caminho. Após quase oito meses de dores no joelho, finalmente tomei a decisão e coloquei uma prótese. Claro que enfrentei com galhardia os preparativos e o ato cirúrgico em si. Àqueles que me perguntam se doeu, afirmo categoricamente que não senti qualquer dor, no pós-operatório ou na fase de recuperação.
Um amigo muito querido dizia, em uma roda de amigos: “Fiquem tranquilos, tudo vai correr bem, e tenho plena certeza disso, porque acompanho a vida do Uebe há quase cinquenta anos, e só o vi praticar o bem e ajudar pessoas. Para quem procede assim, DEUS nunca deixa de estar presente nos momentos difíceis”.
Tomei conhecimento do comentário de meu amigo e irmão Olinto Bars, só agora quando estou em plena fase de recuperação. Entre curativos, fisioterapia e ainda atender alguns casos no hospital, arranjei tempo também para ler um pouco, tanto material da área profissional como leituras mais amenas. 
E, acabou caindo-me às mãos uma parábola extremamente interessante sobre um garoto que vagueava à procura da sabedoria, e quero repartir com vocês ensinamentos tão preciosos: 
“Num lindo dia ensolarado na aldeia em que morava, um menino foi à casa de seu melhor amigo e perguntou-lhe: – Você sabe onde posso encontrar sabedoria? O seu amiguinho respondeu-lhe: – Não sei, mas talvez o vizinho da esquina possa ajudá-lo! Então, o menino foi à casa desse vizinho, um homem forte e de semblante sério, e perguntou-lhe: – O senhor sabe onde posso encontrar a sabedoria? O homem respondeu com um sorriso no rosto: – Não sei, mas o homem mais velho da aldeia pode lhe mostrar como conseguir sabedoria. Ele mora nas montanhas, ao longe. 
O menino agradeceu e, sem falar com ninguém, foi às montanhas encontrar esse senhor. Andando, andando o menino percebeu que já estava longe de sua aldeia, mas, como queria saber onde encontrar a sabedoria, continuou. Encontrou uma, duas, três aldeias e sempre fazia a mesma pergunta: – Onde posso encontrar sabedoria? E todos indicavam sempre o velho que morava nas montanhas. 
O menino foi procurando, e os dias foram passando sem ele perceber, até que um dia, quando já não tinha mais esperança em encontrar esse velhinho e a saudade da sua família já estava quase insuportável, o menino encontrou um velho sentado à beira de um rio e sentou-se ao seu lado sem nada dizer. O velho olhou para o menino e perguntou-lhe: – O que você procura menino? O menino olhou para o velho e disse-lhe: – Estou procurando o velho que mora nas montanhas, para que ele me mostre onde posso encontrar sabedoria e não o encontro. Já estou há dias à procura dele, passei por várias aldeias e todos me falam dele, mas não o encontro. O velho disse ao menino: – A sabedoria está nas mãos daqueles que podem ver a beleza de uma flor, ficar feliz com o sorriso de uma criança, ajudar aos outros sem pensar em retribuição. A sabedoria é uma riqueza que nem sempre traz riquezas físicas, mas sim riquezas espirituais, pois somente um homem bom e generoso pode ter fiéis amigos e ter o reino do céu. Ajude aos outros sem se preocupar em ganhar algo em troca, seja feliz nas coisas mais simples, pois, quando tiver coisas grandiosas, você continuará a ter amigos, e eles ficarão felizes por tê-lo ajudado a crescer e a progredir em vez de ficarem cobiçando e invejando as suas glórias e vitórias. O menino, ao terminar de ouvir tudo aquilo, agradeceu e saiu correndo para a sua aldeia, pois encontrara a sabedoria que tanto procurava. 
Talvez, por seguir ao longo de minha vida a orientação do velho, é que me sinto feliz e tenho amigos como você. 
 
BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: