Ir para o conteúdo

quarta-feira, 04 de agosto de 2021

Artigos

Rugas

Sem permissão elas invadem o viço da juventude, causando pânico e repulsa. Imediatamente cremes e mais cremes entram em ação; misturas caseiras, dicas de amigos e até procedimentos cirúrgicos.
Toda essa batalha precisa ser renovada constantemente, pois não importa o que se faça, elas voltarão a aparecer mais cedo ou mais tarde, e após lutar bravamente contra esse inimigo da vaidade que fere o ego, muitos encontram a solução para esse mal. A solução é simples, mas a falta de sabedoria impede de alcança-la.
Quem tiver sabedoria jamais terá rugas, e sim sinais visíveis que sorriram, que choraram, que viveram e tiveram muitas experiências pra ensinar.
Os sulcos indesejados, são os retratos dos caminhos que trilhamos no decorrer da vida, feliz de quem os coleciona e tem orgulho de seu belo álbum. O tempo vai se encarregando de nos dar essa sabedoria em pequenas porções dia a dia.
Aos poucos o medo de envelhecer será trocado pela alegria de ter vivido, porque só com a maturidade o real sabor da vida desabrochará, pois todo fruto precisa amadurecer pra se tornar doce.
Na juventude apreciamos nosso formoso viço que abriga frutos azedos, amargos, ou simplesmente insípidos. Depois de uma longa caminhada, já entre rugas e cabelos brancos se descobre além da doçura a verdadeira beleza, que espelhos jamais serão capazes de reproduzir.

Erika Borges, cronista e escritora – autora do livro “Crônicas e Reflexões da Vida”

Compartilhe: