Ir para o conteúdo

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Artigos

QUESTÃO DE FÉ

Bom dia, Barretos.

A defesa de nosso organismo depende da nossa imunidade, que por sua vez fica atrelada a nossa confiança. Daí concluímos que a nossa imunidade também depende do estado espiritual pelo qual estamos passando. Quando cai nossa autoconfiança, diminui a imunidade e ficamos mais expostos a contrair doenças. E a nossa autoconfiança está na dependência de nossa fé. Quanto mais fé nós tivermos e menos medo sentirmos, mais seguros nos encontraremos e consequentemente a nossa imunidade aumenta. Aí o perigo de estarmos sendo bombardeados a cada momento com notícias alarmantes da covid, com destaque para números de mortes e novos casos detectados. Porque não dar ênfase aos quase nove milhões de curados? Aos milhares que adquiriram a doença e se curaram mesmo não tendo que recorrer a hospitalização? Porque não dar ênfase aos milhares de pacientes que foram internados, muitos entubados e que se curaram e retornaram ao convívio familiar? Porque, e a quem interessa criar o medo coletivo, verdadeiro pânico. Quais os interesses que estão por trás de tal manipulação? Vai-se minando a nossa segurança substituída por um medo injustificável. O único antídoto que temos contra o medo é a fé. Quem tem fé acredita, quem acredita pode e quem pode consegue. Aí o segredo da superação que não pode ser minado pela desconfiança e medo. A resposta para todas essas indagações está na fé. Ter fé não é crer no que vemos e sim imaginar o que não vemos. Vamos, pois imaginar que em pouco tempo essa pandemia terá passado e que a vida retornará ao ritmo normal. A vacinação não só começou como avança. Vamos nos despir do medo excessivo, sem deixar, porém, de manter os cuidados da prevenção. Ter medo da doença nunca, mas respeitá-la e evita-la é nosso dever. Perdoem-me se tenho sido repetitivo no tema, é porque sei o mal que o medo está fazendo às pessoas.
Bom dia, Barretos

Compartilhe: