Ir para o conteúdo

segunda-feira, 20 de maio de 2024

Artigos

Quem pode receber o sacramento da Unção dos Enfermos

Quando uma pessoa adoece mais gravemente, a sua vida muda. Com frequência, já não pode atender ela própria às suas necessidades e depende da ajuda de alguém. Já não pode ir ao encontro dos outros, mas deve esperar que os outros venham a ela. Deixa de ser “rentável”. Chega ao ponto que já nada “vale” aos olhos da sociedade. Pode cair no isolamento, perdendo a coragem e a esperança…
Jesus não evitou os doentes. Mostrou-lhes que Deus os ama, curou a muitos deles, porque ele veio para salvar e curar o homem inteiro, na alma e no corpo. Porque a sua Igreja não é somente uma comunidade de fé, mas também de vida, cada um deve poder sentir que tem nela um irmão, uma irmã: visitar os doentes é uma obra de misericórdia.
Desde o princípio, a Igreja tem uma solicitude muito particular pelos doentes: “Alguém dentre vós está doente? Mande chamar os presbíteros da Igreja para que orem sobre ele, ungindo-o com o óleo em nome do Senhor. A oração feita com fé salvará o doente e o Senhor o restabelecerá. E se tiver cometido pecados, receberá o perdão” (Tg 5,14-15)
Ainda hoje, a Unção dos Enfermos é administrada da mesma maneira. O sacerdote, ministro ordinário do sacramento, reza pelo doente e com o doente. Unge-o na fronte e nas mãos com o santo óleo dos enfermos e diz: “Por esta santa unção e pela sua infinita misericórdia, o Senhor vem em teu auxílio com a graça do Espírito Santo; para que, liberto dos teus pecados, ele te salve e, na sua bondade, alivie os teus sofrimentos”.
A Unção dos Enfermos não é um sacramento só daqueles que se encontram às portas da morte. Pode ser dada a todos os que têm uma doença ou enfermidade grave, que ponha a sua vida em perigo, porque qualquer doença pode fazer-nos pressentir a morte. É oportuno receber este sacramento antes de uma operação importante ou quando, em razão da idade avançada, a fragilidade se acentua (Catecismo da Igreja Católica, 1514-1515).
Quem entrega a sua vida a Jesus, quem vive com Jesus, pode ficar confiante: não será apartado desta comunhão, mesmo em caso de doença ou de perigo de morte.
O sacramento da Unção dos Enfermos pode ser administrado no hospital, em domicílio ou em uma igreja, e várias pessoas podem recebê-lo ao mesmo tempo.

Por: Doutrina Católica

Compartilhe: