Ir para o conteúdo

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Artigos

“Quanto mais escura é a noite, mais próxima é a aurora”. – Papa Francisco

Estas palavras do Papa Francisco nos iluminam acerca de algumas realidades a que somos submetidos; situações difíceis da vida, nas quais nos sentimos como que imersos num mar de incertezas e incompreensões e que, por mais que tentamos, não encontramos as respostas e nem a direção a tomar. Atravessamos verdadeiros desertos escuros e desesperadores, no entanto, é bem verdade que por mais sombria que seja uma noite, sempre haverá um amanhecer radiante onde será possível vislumbrar o caminho outra vez. Trata-se de compreender que na vida, quanto maiores são os problemas e as dificuldades, mais próxima está a solução. A vida é sempre dinâmica, nada nela é permanente, nem as tristezas, nem tão poucos as alegrias, tudo passa, tudo se renova, tudo se transforma.

Cada novo amanhecer é uma página em branco entregue em nossas mãos para escrevermos uma nova história, uma história feliz em que haja espaço para o bem, para o amor, para Deus. Existem sim capítulos sombrios de nossa história, no entanto, eles não devem predeterminar tudo o mais, temos a liberdade de recomeçar sempre, com novos cenários, personagens, enredos e com um novo final, um final feliz. A felicidade, ao contrário do que se pensa, é muito simples e, talvez seja esse o grande problema. Não sabemos mais ser simples, não enxergamos mais as sutilezas, não nos encantamos pela beleza do trivial.

A aurora é o vislumbre dos primeiros raios do sol, a primeira manifestação da luz que, aos poucos vai dissipando as trevas; é sinal de esperança, de vida, de reinício, não permitamos nos desesperar com a escuridão das trevas, saibamos que ela apenas antecede a luz e aguardemos com esperança o sol da nossa vida outra vez resplandecer e por um fim em todo e qualquer vestígio de escuridão.

 

Fernando Felix Rabelo

Seminarista

 

Compartilhe: