Ir para o conteúdo

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2024

Artigos

Pronta solidariedade

As cidades de Caraguatatuba, São Sebastião e Ubatuba, fortemente atingidas pelo temporal que assolou o Litoral Norte, no Carnaval, fazem parte da base territorial de Sindicatos Filiados à Fecomerciários, entidade por mim presidida. Enlutado com a morte de 65 pessoas na tragédia (até então registradas), o sindicalismo comerciário paulista, mais uma vez demonstra a sua solidariedade aos atingidos pelas chuvas e desmoronamentos. Entre eles, comerciários e práticos de farmácia que, por meio de ações exercidas pelos Sincomerciários de Caraguatatuba e Sinprafarma, de São José dos Campos, estão recebendo generosos auxílios prestados por essas entidades.

Lucelena e Meireles

Os presidentes do Sincomerciários (Lucelena Ap. Firmino) e do Sinprafarma (José Meireles), não tardaram a lançar campanhas de arrecadação e/ou doações de materiais de limpeza e higiene, entre outras, e entregá-los aos necessitados. Além da dor da morte, há estragos de toda ordem, que ainda estão sendo contabilizados. Famílias tiveram suas casas destruídas, água e energia elétrica ainda não estão chegando a muitas áreas atingidas, estradas foram destruídas e estão em processo de recuperação que deve demorar meses.

Comerciários

Neste triste cenário é preciso ajudar as vítimas de forma continuada. Neste momento, é importante destacar o espírito de solidariedade de todos, dos vizinhos, dos parentes, das pessoas que, mesmo no anonimato, desempenham um grande papel ao fazer as doações e, também, das instituições públicas e privadas no atendimento de emergência. É gratificante ver as entidades sindicais comerciárias exercendo esta ajuda ao próximo numa clara demonstração de que são sensíveis às causas humanitárias e, de modo espontâneo. Reitero aqui, os meus cumprimentos aos presidentes Lucelena e Meireles, donos de gestos exemplares.
Esses dois exemplos, passam a ser referência do que pode ser feito para amenizar o sofrimento das vítimas. Desde os primeiros momentos da catástrofe, ambos os sindicatos estão continuamente envolvidos com arrecadações e/ou doações aos desabrigados. No caso de Caraguatatuba, inclusive, há doações em dinheiro, aos sócios, para a compra de suprimentos. São atitudes tocantes, como comprovam os depoimentos de alguns dos atingidos.

Reconstruir

Alzeus Silva Souza (São Sebastião): “Sou casado, minha filha tem cinco anos. Essa ajuda do Sincomerciários é o primeiro passo para a gente começar a reconstruir o que perdemos. Agradeço muito o Sindicato”.

Necessidade

Cintia Lima Chaves (São Sebastião): “Sou mãe de três filhos. Estamos num alojamento da Prefeitura. Muito obrigada ao Sincomerciários por toda esta ajuda que, realmente, está vindo numa hora de extrema necessidade”.

Retomada

Wilson José Rodrigues (Caraguá): “Minha casa encheu, foi tomada por água e lama. Com esta presença do Sincomerciários, um momento tão difícil, me sinto confortado. É o começo de uma retomada”.

Recomeço

Paulo Henrique da Silva (Caraguá): “Sou solteiro, moro com a minha mãe, meu padrasto e minha avó. Com o temporal, perdemos tudo. Reconheço e agradeço a grande atuação do Sindicato!”.
Lucas da Silva Santos (Caraguá): “Obrigado ao Sindicato pelo amparo. Meu filho tem apenas quatro anos e estes auxílios vão ajudar muito a minha família!”.

Prevenção

Essas tragédias devem servir de alerta para as autoridades locais, estaduais e federais. Ao mesmo tempo em que atuam em regime de emergência, socorrendo as vítimas, é preciso investir fortemente no combate das causas. As ações devem ser conjuntas para evitar o desmatamento ilegal, as invasões de áreas identificadas como de proteção ambiental, por exemplo. Para as comunidades que estão em áreas de risco, é necessário o desenvolvimento de estudos, para oferecer moradias seguras e com infraestrutura, com foco nas populações carentes. Leis para proteger o meio ambiente e, por extensão, a vida das pessoas e dos animais existem, mas é preciso investir na divulgação de seus conteúdos junto à população para obter conscientização e, em seguida, fiscalização efetiva. É um trabalho árduo que precisa da integração entre todos os poderes com a participação das lideranças comunitárias, junto ao qual estou disposto a ajudar. Tragédias podem ser evitadas e vidas, protegidas!

 

 

 

Luiz Carlos Motta é
Presidente da CNTC e
da Fecomerciários.
É Deputado Federal (PL/SP)

Compartilhe: