Ir para o conteúdo

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Artigos

Procissão de Santos Reis – louvor, devoção e cultura popular

Caros leitores,
Acontece, nesta sexta-feira, a partir das 19 horas, com saída da Paróquia Santo Antonio de Pádua, no bairro Christiano Carvalho, rumo à Capela de Santos Reis, a 44ª Procissão de Santos Reis, com o apoio do Pe. Dionizio Helko, José Miranda e dona Mercedes dos Santos Macedo, entre outros, com o acompanhamento das Companhias de Reis de nossa cidade e devotos dos três Reis Santos. No sábado, haverá também festividade na comunidade de Água Limpa, a partir das 16 horas, comandada pela Companhia de Reis ‘Nova Geração’,
O cortejo acontece no mês de janeiro, desde 1977, em data posterior ao dia 6, “Dia de Reis”, devido às inúmeras chegadas realizadas pelas Companhias naquele dia, impossibilitando as mesmas de se fazerem presentes na procissão. Este tradicional acontecimento barretense foi idealizado pelos saudosos radialistas Elpídio Augusto Machado, conhecido por Compadre Pioneiro e Paulo Belmiro Ferreira. Tivemos o privilégio de participar desde a primeira procissão, vivendo o ‘Rei Mechior’, e posteriormente, em 1979, da fundação da Associação Barretense de Folclore, base de apoio deste evento. Apenas, em 2021, a procissão deixou de ser realizada, devido à fase mais aguda da Covid-19, com retorno neste ano, para que os devotos possam em seu percurso, fazer seus pedidos e pagar as suas promessas. No entanto, respeitando as medidas sanitárias.
É bom lembrar que, as Companhias de Santos Reis ou Folias de Reis, são organizadas sob a liderança do mestre, seguem com reverência os passos da bandeira, elemento sagrado da companhia, e assim os devotos beijam-na respeitosamente, cumprindo rituais tradicionais de beleza e riqueza cultural e representam a viagem dos Reis Magos, orientados pela Estrela-Guia, para levar ao Menino Jesus, recém-nascido, seus presentes, o ouro, o incenso e a mirra.
De tradição europeia, trazidas pelos portugueses no período colonial, a adoração aos Reis Magos acontece anualmente em todo o Brasil e em vários formatos. A visitação das casas é uma tradição, que vai do final de dezembro até o Dia de Reis, e, é feita por grupos organizados, muitos dos quais motivados por devoção, incluindo os propósitos culturais, sociais e filantrópicos. Além dos músicos e cantores, a Companhia é composta, ainda, por dançarinos, palhaços e outras figuras folclóricas devidamente caracterizadas. Após às chegadas, os foliões se reúnem em cantorias, cujos enredos e versos relatam a chegada do Messias, onde autos sacros e profanos se misturam.
Em Barretos, com o intuito de louvar e preservar as tradições, tanto folclóricas, como religiosas, a primeira procissão ocorreu no dia 8 de janeiro de 1977, com o apoio do Vigário da Catedral do Divino Espírito Santo, Pe. Cesar Luzio Júnior, e com as presenças de atores interpretando os Reis Magos. O primeiro elenco contou com José Antonio Merenda (Melchior), Assis Rainho Filho (Gaspar) e Celso Vilela, conhecido por Chapinha (Baltazar), em procissões partindo das Igrejas do Bom Jesus, Capela de Santos Reis e Igreja de São Benedito, respectivamente, e a ‘Estrela-guia’, da Igreja do Rosário, com encontro no Presépio armado na Praça Francisco Barreto. Há, ainda, de se destacar as emocionantes narrativas de Paulo Belmiro e Pioneiro e participações de inúmeras Companhias e centenas de devotos.
Com o passar do tempo, houve algumas modificações, como: em 1980, quando foram incluídos os personagens ‘José e Maria’; as procissões passaram ter novos trajetos, em caminhada única, com saída do presépio instalado na Praça Francisco Barreto, rumo à Capela de Santos Reis; hoje, pelo segundo ano, a procissão sai da Paróquia de Santo Antonio, no bairro Christiano Carvalho com destino à Capela de Santos Reis. Nessas quatro décadas tivemos as participações artísticas do TEBA – Teatro do Estudante de Barretos, do GTAAB – Grupo Teatro ‘Amor à Arte’ de Barretos, Instituto Cultural ‘João Falcão’ e ABC – Academia de Cultura em inúmeros elencos.
Neste ano os Três Reis Magos serão interpretados por José Antonio Merenda (Melchior), Ricardo Ramos da Silva (Gaspar) e Osmildo de Andrade (Baltazar), além de Maria, vivido por Cacilda de Souza e José, por Aurimar de Freitas Figueiredo.
Viva Santos Reis!!!

 

José Antonio Merenda
Ator, historiador e membro
da ABC – Academia Barretense
de Cultura – Cadeira nº 29

Compartilhe: