Ir para o conteúdo

segunda-feira, 21 de junho de 2021

Artigos

Pressão alta acelera o declínio cognitivo

Olá!

Há quem pensa que a pressão alta está associada apenas a derrame cerebral, preocupados com os picos hipertensivos. Engana-se. A pressão descontrolada está comprovadamente associada a diversas complicações a longo prazo e já comentado aqui em artigos anteriores, como insuficiência cardíaca (coração grande e fraco), insuficiência renal crônica (as vezes com evolução para hemodiálise), infarto, AVC e até piora da memória.
Um estudo brasileiro realizado pela Universidade Federal de Minas Gerais mostrou que em qualquer idade, pessoas que sofrem de hipertensão tem mais probabilidade de apresentar o declínio cognitivo. De acordo com o estudo, a pré-hipertensão, definida como pressão sistólica de 120-139 mmHg ou pressão diastólica de 80-90 mmHg, também está relacionada ao declínio cognitivo acelerado. A hipertensão é um fator de risco estabelecido e altamente prevalente para o declínio cognitivo, mas a idade que começa a afetar a cognição não é clara.
O resultado que foi publicado em dezembro na revista Hypertension, envolveu 15 mil participantes, com idades entre 35 e 74 anos, que foram submetidos a teste de memória, sendo registrado a duração do diagnóstico de hipertensão, o tratamento, o estado de controle e a duração da avaliação foi de seis anos.
Esse estudo aponta mais uma vez, a necessidade de manter a pressão sob controle a fim de evitar problemas futuros, já que o resultado mostrou que as pessoas que sofrem de hipertensão tem mais riscos de ter declínio cognitivo e de memória.
Não espere ter sintomas para saber quais os seus níveis pressóricos. Faça seus exames e consulte o cardiologista regularmente.

Um ótimo domingo e até o próximo!

Compartilhe: