Ir para o conteúdo

domingo, 30 de abril de 2017

Artigos

PORQUÊ 1º DE MAIO É DIA DE SÃO JOSÉ OPERÁRIO

O dia do operário nasceu para lembrar o massacre dos trabalhadores, acontecido em Chicago no ano de 1886. Durante uma greve, os trabalhadores foram massacrados sem piedade pelos poderosos. Em 1889, o Dia Mundial do(a) Trabalhador(a) foi criado a ser comemorado anualmente no dia 1º de Maio.
O Papa Pio XII instituiu a festa de “São José Operário” em 1955, para este mesmo dia. São José é o modelo ideal do operário. Sustentou sua família durante toda a vida com o trabalho de suas próprias mãos, cumpriu sempre seus deveres para com a comunidade, ensinou ao Filho de Deus a profissão de carpinteiro e permitiu que as profecias se cumprissem. 
O papa Leão XIII (1878-1903) nos diz que os operários têm o direito de recorrer a São José e de procurar imitá-lo. Porque São José, de família real, casado com a mais santa entre todas as mulheres, considerado o pai do Filho de Deus, retirou do seu trabalho de carpinteiro o sustento da Sagrada Família. 
A escolha de São José como padroeiro dos trabalhadores mostra que a Igreja está do lado dos mais fracos e injustiçados. Junto com a celebração do justo José, a Igreja celebra a vida dos milhões de trabalhadores de todo o mundo e levanta a voz para defendê-los nas horas de necessidade. Numa sociedade materialista, que divide as pessoas pelo tipo de trabalho e que valoriza o ser humano pelo que ele recebe, a Igreja quer lembrar, no dia 1º de maio, o valor humano e cristão do trabalhador. 
 
Colaboração: Padre Evaldo César de Souza, CSsR

Compartilhe: