Ir para o conteúdo

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Artigos

Por que o VR e o VT não duram o mês inteiro?

O último levantamento divulgado pela Sodexo Benefícios mostrou que, para mais de 80% dos trabalhadores, o saldo do vale refeição termina antes do previsto. Os funcionários ouvidos na pesquisa atribuíram o problema principalmente ao baixo valor do benefício (43%) e aos altos preços das refeições nos locais próximos às empresas (41%). 
Além disso, uma parcela dos entrevistados (16%) admitiu que também utiliza o vale nas folgas e fins de semana, o que faz com que o crédito acabe antes do período ideal. Esse último fator pode desestabilizar o orçamento comprometendo o cartão de crédito e até o cheque especial. 
O mesmo problema acontece quando o dinheiro destinado ao vale-transporte é utilizado para outros fins que não o trajeto de casa para o trabalho e vice-versa. Algumas empresas ainda pagam o benefício em dinheiro; o que favorece a perda de controle dos gastos. 
Para que esses dois benefícios não se tornem armadilhas nas suas finanças, é fundamental que haja organização e consciência de que eles não fazem parte da renda, mas existem justamente para suprir as despesas do dia a dia profissional.
Se você extrapola os gastos com frequência, é hora de mudar os hábitos. Para começar, divida o valor recebido mensalmente pela quantidade de dias úteis. Dessa forma, você vai saber o quanto pode gastar diariamente. Tendo consciência desses valores, fica mais fácil administrar os benefícios. 
Na hora de escolher o local para fazer suas refeições, considere opções que atendam o seu gosto e bolso. Não vale ter preguiça de pesquisar. Peça indicação aos colegas de trabalho e procure novidades sempre. Alguns restaurantes oferecem  opção de convênios com empresas e concedem descontos e promoções aos funcionários. Verifique se há essa possibilidade nos locais onde almoça com frequência. A famosa marmita também pode ajudar. Se o valor diário do seu vale-refeição não supre seus gastos, escolha alguns dias da semana para levar comida de casa e a conta fechar.
Diferente das despesas com alimentação, as tarifas de transporte não costumam variar. Se você recebe o benefício em dinheiro, programe-se para transferi-lo para cartão no mesmo dia. Assim, você não corre o risco de usar o valor para cobrir alguma despesa emergencial e se atrapalhar depois. 
Lembre-se: misturar os benefícios com despesas pessoais não é uma opção, a menos que o valor recebido seja superior aos seus gastos.  Esporadicamente, gastar um pouquinho mais com boas refeições é permitido, mas você precisa se organizar para isso. O importante é não desestabilizar o orçamento por indisciplina!
 
Dora Ramos é educadora financeira e diretora responsável pela Fharos Contabilidade & Gestão Empresarial (www.fharos.com.br).
 
 

Compartilhe: