Ir para o conteúdo

sexta-feira, 11 de abril de 2014

Artigos

Plano de vida

Dias atrás, entrei num templo e rezei a oração que agora lhe apresento, pois acho que lhe pode ser útil. Falei assim a Deus:
“Senhor, este mundo cansado e velho, com seus problemas, gotejando sangue e ódio, me esbofeteia a alma. Diante do egoísmo de todas as coisas e de todas as horas, dá-me a responsabilidade e disponibilidade; livra-me do subjetivismo dos olhos fechados; faze que eu abra muito bem meus olhos, para que veja o ódio, a violência, a injustiça, a fome que há no mundo.
Faze, Senhor, que me arrependa de ter sido orgulhoso; que não suporte a ficar acomodado na cadeira de espectador em um mundo faminto de verdadeiros valores, de homens autênticos; faze que a emanação do vulgar e do medíocre não me maculem; que o número dos indecisos não me sufoque, nem os conformistas limitem e restrinjam minhas decisões.”
Creio que você deveria repetir esta oração com freqüência, porquanto pode constituir muito em um plano de vida e de ação para você e para mim.
“Quem odeia seu irmão é assassino” (1 Jo 3.15). “Devemos encher-nos de um sadio otimismo – estender nossos braços a quem nos feriu; e – abraçar a todos os nossos inimigos – num doce amplexo de amor e perdão.”

Compartilhe: