quarta-feira, 21 de outubro de 2020

Artigos

Pequenas fendas para chegar à luz

Um bom pensamento, cuja base é a vontade de Deus, é capaz de nos gerar palavras inspiradoras e atos exemplares. Quanto mais pensamos em Deus, mais pensaremos no amor. Dessa maneira, seremos moldados a sua forma nos despertando atitudes de humildade, mansidão e amor ao próximo.
Uma das consequentes dificuldades humanas na atualidade que vem se apresentando, em sua maioria, é um perfil humano egoísta e orgulhoso, uma raça que se encontra hipnotizada pelas coisas materiais, que somente são capazes de alimentar ilusões.
Sabemos que o orgulho é uma necessidade profunda e insaciável da irrealidade, ou seja, da tentativa de querer que os outros acreditem na mentira sobre nós mesmos e queiram sempre nos admirar. O orgulho nos gera uma vida de aparência que impregna e infesta ao mesmo tempo toda sociedade, sendo ainda que o orgulho e o egoísmo agem um sobre o outro em um círculo vicioso que gera a “insensibilidade e a falta de humildade.”
Estas realidades vem acontecendo cada vez mais e são consequências do homem passar a se sentir “onipotente” e achar que não necessita de Deus, sustentado por sua razão e conquistas pessoais como sucesso, dinheiro, bens materiais e físicos para sua própria felicidade.
Porém, há sempre novas possibilidades de lutar contra estas realidades da vida que estão a favor de quem não a sabe encarar com coragem e determinação. Muitas vezes os caminhos mais fáceis não são sinais de esperteza, mas sim de fracasso e ilusão.
Sabemos que para crescer não precisamos de aberturas escancaradas e sim uma pequena fenda de luz. Na fé, quanto maior a dificuldade mais fecundo o agir do Senhor. Permaneçamos firmes e não nos deixemos levar pelas facilidades do mundo que nos geram ilusão, mas nos apoiemos em Cristo e façamos Dele a fortaleza para a nossa caminhada. Ele é conosco e não nos abandona.

Daniel Canevarollo
Seminarista

Compartilhe: