terça-feira, 20 de outubro de 2020

Artigos

Passos para reabrir os negócios

Dias atrás, a Escola de Saúde Pública da Universidade de Michigan divulgou um trabalho do seu pesquisador Rick Neitzel, que é especialista em saúde ocupacional e ambiental, em que descreve as cinco etapas que empregadores e empregados devem seguir juntos para voltar ao trabalho da maneira mais segura possível.
Esse trabalho é importante porque muitas empresas de vários países estão se preparando para começar a reabrir seus locais de trabalho. O primeiro passo é aceitar a situação. A COVID-19 continuará por muito tempo. Há necessidade de mudanças nos locais de trabalho, melhorar a segurança dos trabalhadores e clientes para evitar uma segunda onda de infecções potencialmente catastrófica.
O segundo passo é fazer um plano. Os empregadores precisam desenvolver um plano escrito de controle de infecção que identifique os possíveis riscos no local de trabalho e estabeleça estratégias para controlar esses riscos. Esse plano deve estar em vigor antes da reabertura dos negócios. Fazer um plano envolve pesquisar toda a área e todas as atividades de trabalho que ocorrem lá, identificar circunstâncias nas quais os trabalhadores podem entrar em contato com o vírus, entre as pessoas ou tocando em superfícies, e como minimizar o risco de infecção.
O terceiro passo é comunicar o plano aos trabalhadores e, nos locais de trabalho públicos, aos clientes. Os empregadores precisam confirmar que estão comunicando aos trabalhadores as mudanças e o que se espera dos empregados. Os funcionários precisam ter certeza de que compreendem completamente suas funções e responsabilidades no novo “normal”.
Os empregadores também precisam se comunicar com o público para que os clientes saibam o que está sendo feito para mantê-los seguros quando chegarem ao local de trabalho. Muitos clientes podem ter receio de visitar empresas, e um plano de comunicação eficaz pode ajudar os empregadores a transmitir a esses clientes quão seriamente as empresas estão levando a prevenção de infecções. Os funcionários têm uma grande oportunidade de comunicar diretamente seu compromisso com a segurança aos clientes.
Ainda será absolutamente crítico manter o distanciamento social fora do local de trabalho para evitar infecções na comunidade.
O quarto passo é implementar e seguir o plano. Existem três camadas de controle de infecção: controles físicos ou de engenharia, como afastar as estações de trabalho, usar barreiras físicas (por exemplo, divisórias de acrílico), alterar o tempo das atividades de trabalho, modificar o tráfego nas instalações, ventilar os edifícios.
Controles administrativos, como verificar a temperatura e os sintomas na entrada, garantir que os funcionários potencialmente doentes não venham ao trabalho, exigir que todos lavem as mãos, escalonar os horários de início e fim do turno.
O quinto passo envolve avaliar e ajustar o plano. É essencial avaliar continuamente esse plano para confirmar que está obtendo os melhores resultados possíveis. Quanto mais rápido os empregadores e os funcionários aceitarem as mudanças, muitas desconfortáveis, mais rápido poderão voltar ao trabalho.

Mario Eugenio Saturno (cientecfan.blogspot.com) é Tecnologista Sênior do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e congregado mariano

Compartilhe: