Ir para o conteúdo

sexta-feira, 01 de dezembro de 2017

Artigos

“Passarão o céu e a terra, mas as minhas palavras não passarão” (Lc 21, 33)

É com essa afirmação que Jesus termina o evangelho de hoje. Sabemos que Deus criou o céu, a terra o mar e tudo que existe, mas no texto deste dia notamos que também o próprio Deus, na pessoa de Jesus Cristo, afirma que todas essas coisas passarão, acabarão, e com isso concluímos que só a Palavra de Dele é eterna.
Mas o que isso pode dizer a cada um de nós, hoje? Bom, sabemos que por muitas vezes estamos apegados e condicionados aos bens materiais e às coisas que possuímos, e que também somos analisados pelas riquezas que possuímos e bens que acumulamos durante a vida, somos verdadeiros escravos dos bens e riquezas, não são eles que nos servem, somos nós que servirmos a eles.
Para tal situação, somos alertados em diversas passagens recorrentes da Sagrada Escritura sobre o problema do apego ao dinheiro, bens materiais e ao culto a outros deuses: “Vós não podeis servir a dois senhores” (Mt 16,13); ‘‘O homem é feito escravo daquele que o venceu’’ (2 Pd 2, 19); “Não terás outros deuses diante de Mim. […] Eu sou o Senhor, o teu Deus” (Ex 20, 3-5).
Tudo isso para nos indicar que devemos depositar nossa fé, nossa esperança em Deus, realidade que não tem começo e muito menos fim. Que Deus sempre nos inspire a olhar para Ele e fazer aqui na Terra coisas que nos conduzirão para esse Reino que não passa.
Pedro Henrique Lopes
Seminarista

Compartilhe: