Ir para o conteúdo

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Artigos

“Participação na Liturgia” foi tema de formação diocesana

Realizado no sábado (12), o Encontro de Formação Diocesana da Pastoral Litúrgica reuniu na Cúria Diocesana 100 participantes. Lideranças das paróquias da diocese tiveram formação sobre o tema "Participação na Liturgia".

O assessor do encontro foi o padre José Adalberto Salvini, pároco da Paróquia Santo Antônio de Pádua da cidade Pirangi, da Diocese de Jaboticabal. O sacerdote é mestre em Liturgia.

A palavra Liturgia vem do grego λειτουργία, que significa "ação do povo". Para a Igreja Católica, a Liturgia apresenta-se como o fio condutor de toda e qualquer ação religiosa, segundo definição do Concílio Vaticano II. "Toda celebração litúrgica, enquanto obra de Cristo e do seu corpo, que é a Igreja, é ação sacra por excelência" (Sacrosanctum concilium, n.7).

De acordo com a professora Maria Bonetti Rafaelli para o site da Canção Nova, a liturgia é o cume no qual se funda a ação da Igreja e a fonte da qual brotam todas as virtudes. "Os filhos de Deus mediante a fé e o batismo, se reúnem em assembleia, louvam a Deus na Igreja, participam do Sacrifício e comem da ceia do Senhor", ressalta.

A liturgia é ação de Cristo, eterno sacerdote. Quando se diz que a "assembleia celebra", é a comunidade dos batizados que "festeja" os dons recebidos. Trata-se de um encontro com o Cristo Ressuscitado que mediante as celebrações litúrgicas vem ao encontro de cada ser humano pessoalmente. Jesus se faz presente no sacrifício da missa seja na pessoa do ministro, seja, sobretudo, nas espécies eucarísticas. Está presente nos Sacramentos, de modo que quando um batiza é o próprio Cristo quem batiza, por exemplo.

 

Compartilhe: