quarta-feira, 12 de agosto de 2020

Artigos

OS SORRISOS QUE FORAM ESCONDIDOS PELAS MÁSCARAS

As máscaras que usávamos caíram, e uma outra foi posta.
Do poder e sensação de sermos imbatíveis, passamos para a impotência, visualizando assim que hierarquias  sociais, políticas e econômicas não salvam o mundo.

Chegamos a um momento histórico. Estaremos nos livros de história dos nossos filhos e netos, faremos parte das aulas de biologia e história, onde um pequeno vírus transformou grandiosamente a história da humanidade.
Os sorrisos não são mais vistos, as máscaras cobrem nossos rostos como forma de proteção. As mesmas máscaras em outro momento, mesmo que de forma não visível e assumida, eram e ainda são usadas para encobrir nossos comportamentos na busca de reconhecimento social e aceitação, escondendo muitas vezes atitudes e desejos cruéis uns para com os outros, e por sua vez, escondendo-nos de nós, hoje elas são usadas contra todos nós.
As máscaras que usávamos caíram, e uma outra foi posta. Do poder e sensação de sermos imbatíveis, passamos para a impotência, visualizando assim que hierarquias sociais, políticas e econômicas não salvam o mundo.
O momento é de reflexão, mostrando que o pequeno pode ser mais forte do que julgávamos, e confinados ao isolamento somos convidados a ver soldados diariamente sendo convocados para a “guerra”. Tantos líderes políticos, tantas armas grandiosas construídas, mas não entendíamos que o nosso próprio comportamento construiu nosso maior inimigo.
Coroamos heróis fictícios, e aceitamos um entretenimento a lá pão e circo. Enquanto alguns recebem salários exorbitantes por fazerem tão pouco, os verdadeiros super heróis, que lutam pela ciência e saúde foram minimizados, desvalorizados, julgados como reprodutores de conhecimento superficial. O jogo virou, e quem pode nos salvar não é o chapolim colorado (atribua aqui o nome que melhor couber como sinônimo para você), mas sim a inteligência e os frutos dela, que diariamente foram mal remunerados e pouco valorizados como grandiosos.
Alguns ainda desacreditados do poder do “pequeno” vírus, riem e veem tudo como exagero, insistindo em usar máscaras também nos olhos, que são invisíveis para nós, e reais para eles, que aparentemente são moradores em um eterno conto de fadas, negando toda a realidade atual defronte deles. Enquanto isso os “soldados” da saúde se preparam… mostrando o que sempre nos foi afirmado e ensinado em nosso belo hino: “Verás que um filho teu não foge à luta”.
Lutemos para que amanhã TODAS as máscaras possam cair, mostrando não apenas o fim da pandemia, e da doença social que contaminou a todos os seres humanos, mas também, para que possamos enfim ver os sorrisos abertos a compreender o poder de uma essência verdadeiramente humana e sensata.

MARINA ZOTESSO
Psicóloga

Compartilhe: