Ir para o conteúdo

domingo, 08 de dezembro de 2013

Artigos

OS PASSOS

Bom Dia Barretos. 
Temos que nos preocupar com os  nossos passos, pois são eles que nos encaminham ao local certo ou errado. Eles podem também nos levar ao encontro do sucesso ou do fracasso, do bem ou do mal. Mas quando não somos apenas um, porque comandamos uma organização, a preocupação com os passos devem merecer atenção especial, pois incorporarão os passos dados, não só por nós, como também dos nossos comandados. 
Diz uma parábola que um homem resolveu visitar um ermitão que vivia perto do mosteiro de Sceta. Depois de caminhar sem rumo pelo deserto, terminou encontrando o monge e perguntou-lhe: – “Monge, preciso saber qual o primeiro passo que se deve dar no caminho espiritual. O ermitão então o levou até um pequeno poço e pediu que olhasse seu reflexo na água. O homem obedeceu, mas o ermitão começou a jogar pedrinhas na água, fazendo com que a superfície se movesse. Passado algum tempo o homem já aflito disse: – Não poderei ver direito meu rosto enquanto o senhor não parar de atirar essas pedrinhas no poço. O monge então, pacienciosamente explicou o ensinamento: – Assim como é impossível a um homem ver seu rosto em águas turbulentas, também é impossível buscar a felicidade se a mente estiver ansiosa com a busca… Esse é o primeiro passo, concluiu o monge.”
Bem meus irmãos no plano espiritual, bem como no plano material devemos nos preocupar, e muito, com os nossos passos ou com os passos dados pelos nossos assessores ou comandados. Confesso que fiquei realmente preocupado ao ler a ata de registro de preços, do edital 134/13 – pregão eletrônico 017/13 – visando à possibilidade de aquisição de mudas de plantas ornamentais, a serem plantadas na revitalização de praças, canteiros centrais de avenidas, jardins públicos e rotatórias de Barretos, pelo período de 12 meses, no valor de R$ 1.252.000,00 [um milhão duzentos e cinquenta e dois mil reais].
Tal licitação com trinta e quatro itens me levou a meditar para onde os passos de nossos comandantes estão a nos conduzir. Não temos em Barretos uma secretaria do meio ambiente? Não temos uma fazenda municipal? Não poderíamos estar aqui produzindo, pelo menos parte de tais mudas por um preço quase que irrisório? 
Estranhei também que a licitação tivesse sido ganha por uma floricultura da cidade de Dona Euzebia, em Minas Gerais, confesso que dela nunca tinha ouvido falar, bem como o valor do transporte R$ 87.321,00 [oitenta e sete mil trezentos e vinte e um reais]. Confesso também que estranhei a proposta de compra de 500 palmeiras imperial a R$ 63 cada e mais 500 palmeiras imperial a R$ 130 cada, e mais 700 palmeiras rabo de raposa a R$ 173,91 cada, alem de 50 “palmeiras azul”, a R$ 1.734,74 cada. Portanto 1.750 palmeiras. Estranhei a cotação de R$ 121.000,00 para a compra de separadores de plantas, e R$ 156.600,00 em morela, além de R$ 86.000,00 em lírio de São José, e R$ 57.600,00 na compra de barba de serpente. 
Bem a licitação prevê a compra em uma lista imensa, inclusive a compra de R$ 26.550,00 em “maria sem vergonha”. Dá para estranhar ou não dá? Creio que o mais correto teria sido a elaboração de um projeto paisagístico, prevendo o que seria aplicado em cada local, dando oportunidade à população de opinar e acompanhar com transparência a aplicação correta do dinheiro público. 
Ou será que estou errado? Além disso, com a cidade endividada, com a falta de recursos para se investir na Santa Casa ou para colocar em funcionamento a “UPA”, com a população tendo que se socorrer do judiciário para conseguir medicamentos, será que seria o momento oportuno de propor adquirir R$ 1.252.900,00 em plantas ornamentais? Têm passos que nos engrandecem, mas outros…bem deixa prá lá.
BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: