Ir para o conteúdo

domingo, 15 de setembro de 2013

Artigos

OS HOMENS E AS PULGUINHAS

Bom Dia Barretos. 
Conta a história que um determinado treinador da seleção, numa final de copa do mundo, em vez de criar e explicar táticas e jogadas fundamentais para se ganhar o jogo disse à sua equipe: Entrem em campo e ganhem o jogo, pois se vocês estão aqui é porque sabem jogar. Entrem em campo e façam o que mais sabem fazer na vida. E deu certo. 
De vez em quando somos surpreendidos por algumas equipes humildes, que chegam e desbancam equipes famosas, com grandes elencos e com craques que ganham de salário, o que o adversário paga por todo o time. Mas, deixando o futebol de lado, e indo para o empreendedorismo, vemos pequenas empresas, que sem alarde e sem a publicidade das grandes redes, acabam por adquirirem a confiança de seus clientes, crescendo rapidamente e se destacando no cenário geral. 
Podemos conduzir o mesmo raciocínio para qualquer ramo de atividade e sempre vamos concluir que simplicidade, trabalho, dedicação e amor no que se faz, são fatores preponderantes para o sucesso. Nada de se preocupar com a equipe adversária ou o concorrente, nada de preconceito ou inveja, nada de tentar subir denegrindo o adversário, pois o tempo perdido com tais manipulações, tramando algo contra alguém é na verdade uma pá de cal na busca do sucesso pretendido. 
A preocupação com os outros bem como a inveja nos faz lembrar aquelas duas pulguinhas que tinham um problema a resolver e tentaram resolve-lo imitando o próximo. Dizia uma pulguinha para a outra: – Sabe qual é o nosso problema? Nós não voamos, só sabemos saltar; daí nossa chance de sobrevivência quando somos percebidas pelo cachorro é zero. Precisamos voar, e, então contrataram a consultoria de uma mosca, entraram num programa de reengenharia de voo, e saíram voando. Passado algum tempo, a primeira pulga disse à outra: – Quer saber? Voar não é o suficiente, porque ficamos grudadas ao corpo do cachorro e o nosso tempo de reação é bem menor do que a velocidade da coçada dele. Temos de aprender a fazer como as abelhas, que sugam o néctar e levantam voo rapidamente.
E elas contrataram o serviço de consultoria de uma abelha, que lhes ensinou a técnica do chega-suga-voa. Funcionou, mas não resolveu. A primeira pulga explicou por que. – Nossa bolsa para armazenar sangue é pequena, por isso temos de ficar muito tempo sugando. Escapar, a gente até escapa, mas não estamos nos alimentando direito.
Temos de aprender como os pernilongos fazem para se alimentar com aquela rapidez. Novamente um pernilongo lhes prestou uma consultoria para incrementar o tamanho do abdômen. Resolvido, mas por poucos minutos. Como tinham ficado maiores, a aproximação delas era facilmente percebida pelo cachorro, que as espantavam mesmo antes de pousar. Foi aí que encontraram uma saltitante pulguinha: – Ué, vocês estão enormes! Fizeram plástica? – Não, reengenharia.  Agora somos pulgas adaptadas aos desafios do século XXI. Voamos, picamos e podemos armazenar mais alimento. – ué, então por que é que estão com cara de famintas? – Isso é temporário. Já estamos fazendo consultoria com um morcego, que vai nos ensinar a técnica do radar. E você? – Ah, eu vou muito bem, obrigada. Forte e sadia.
Bem meus irmãos parece que a ambição desmedida das pulguinhas e a inveja dos atributos alheios, lhes levaram à derrocada. Que pena que existem também seres humanos agindo como as pulguinhas. Em vez de se preocuparem com suas vidas e seus empreendimentos, perdem seu valioso tempo buscando como prejudicar os outros, quando em verdade, deveriam melhorar seu atendimento e conquistar sua clientela.
]Para ser realizado na vida, não precisa invejar ou imitar ninguém, basta trabalhar com amor, fazer o melhor possível, não invejar o sucesso alheio, viver em paz consigo mesmo e ser honesto com seus semelhantes. Ai reside a receita do sucesso. Bom domingo para todos.
BOM DIA BARRETOS.

Compartilhe: