Ir para o conteúdo

quinta-feira, 27 de março de 2014

Artigos

Os galhos da vida

Um homem estava escalando uma montanha muito alta, quando de repente escorregou e começou a cair. Na queda, agarrou-se a um arbusto e nele ficou dependurado esperando a hora em que rolaria na abismo e morreria. Vendo que nada poderia salva-lo, levantou o coração a Deus e o desafio dizendo:
-Se és um Deus todo poderoso, salva-me agora!
– Sim, sim, eu vou te salvar, respondeu a voz de Deus vinda do céu.
O homem imaginou que chegariam os anjos para salvá-lo ou que a mão poderosa de Deus o seguraria.
– Se acreditas em mim, solta-te da planta, porque só assim demonstrarás que a salvação vem de mim e não de ti… tornou a lhe falar Deus.
Essa história nos leva a pensar… a quantos galhos estamos agarrados e por isso não experimentamos a salvação de Deus?
Sim, os galhos aos quais estamos agarrados, e onde, com freqüência buscamos a salvação são o ocultismo, a superstição, a magia, o curaderismo, a feitiçaria , a leitura de cartas, o controle de mente, as figas, o egoísmo, a soberba enfim tudo aquilo que vem do mal e que nos seduz e nos prende em suas malhas.
Quantos não se apóiam no horóscopo  para tomar suas decisões diárias! Quantas buscam na própria mente o seu poder sobre tudo e todos! E o culto da própria pessoal! Do próprio poder!
Se nos soltamos de todos esses “galhos”, que não apenas não nos podem salvar, mas que nos prendem, Deus nos livrará com seu poder. Deus nos salvará 
Quando Simão Pedro se afundava nas águas do mar da Gatiléia, pediu a ajuda de Jesus. È certo que Pedro sabia nadar perfeitamente, pois era pescador, mas preferiu ser salvo pelas mãos de Jesus; abandonou-se completamente e foi salvo.
Se quisermos nos salvar, se quisermos ter desde já a paz da vida eterna, precisamos também já nos livrarmos de tudo que nos liga ao mal e nos entregamos inteiramente a Deus. Só Deus nos salva e nos dá a paz!

Compartilhe: