Ir para o conteúdo

segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024

Artigos

OREMOS PELAS PESSOAS MARGINALIZADAS

Intenção do Papa para Setembro:
“Rezemos para que as pessoas que vivem à margem da sociedade, em condições de vida desumana, não sejam esquecidas pelas instituições e jamais sejam consideradas descartáveis”.
O Papa Francisco, desde que assumiu o ministério petrino, tem chamado a atenção sobre a cultura do descarte no mundo de hoje, na qual as pessoas são tratadas como meros objetos e descartadas quando já não se precisa mais delas. Hoje em dia também se usa o termo “cancelar” para marginalizar pessoas, sobretudo no meio escolar/acadêmico.
Falar de pessoas marginalizadas não é falar das pessoas que moram nos bairros afastados do centro, mas sim das que foram e são marginalizadas pela sociedade. Aqui podemos incluir uma lista enorme de pessoas que podem estar vivendo assim: enfermos, idosos, portadores de alguma necessidade especial, pessoas de comportamento moral não aceito pela sociedade etc.
Vamos olhar com atenção para o meio em que vivemos para superar essas dificuldades e trazer de novo para o centro essas pessoas, que são imagem e semelhança de Deus e nossos irmãos. Acredite se quiser, mas isso pode acontecer até mesmo dentro de nossas famílias, quando um parente ou outro é sempre deixado de lado, como se não existisse.
O Papa também está se referindo às pessoas que são largadas, abandonadas à própria sorte e precisam lutar para sobreviver. Muitas delas são ignoradas pelos passantes, como aquele homem que caiu nas mãos de assaltantes, ficou caído no caminho e o samaritano acudiu (Lc 10,25-37).
Esse apelo ecoa nos nossos corações e não apenas nos ouvidos, pois, como Igreja, temos a responsabilidade de “desmarginalizar” as pessoas; esse será nosso evangelho e nossa causa. E lembremos: não se trata apenas de um movimento social, mas também de salvação, pois o nosso maior compromisso é tirar nossos irmãos da marginalização, que o pecado traz, para vê-los ingressar na graça salvífica de Deus.

 

 

(Por: Pe. Lucas R. Pereira)

Compartilhe: