Ir para o conteúdo

quinta-feira, 25 de julho de 2024

Artigos

Obesidade: os hábitos que se iniciam na infância

Olá!
Hábitos saudáveis têm mais chances de acompanhar a população durante a vida se começarem logo na infância. Por isso, dia 03 de Junho é o Dia da Conscientização contra a obesidade infantil. A estimativa é que 6,4 milhões de crianças tenham excesso de peso no Brasil e 3,1 milhões já evoluíram para obesidade e isso pode trazer consequências preocupantes ao longo da vida.
A obesidade é uma doença preocupante entre os adultos – quando se fala em crianças, a situação é ainda mais grave – a saúde começa a sofrer com os problemas causados pelo sobrepeso enquanto a criança deveria estar em pleno desenvolvimento físico. Com o passar dos anos, o número de crianças obesas têm aumentado, fazendo a saúde pública reconhecer a obesidade infantil como uma epidemia, isso porque a obesidade está relacionada a diversas doenças crônicas como diabetes, hipertensão, doenças cardíacas e má formação do esqueleto.
Nem sempre a obesidade infantil está relacionada ao consumo excessivo de comida ou é culpa dos pais. Existem inúmeros possíveis fatores para a obesidade infantil. Porém, com o passar dos anos, houve uma drástica mudança nos comportamentos alimentares em todo o mundo. As crianças passaram a ter mais contato com alimentos industrializados e hipercalóricos e se afastaram das frutas e de outros alimentos naturais. Com o consumo exagerado de gordura e açucares, há uma mudança na produção de hormônios ligados ao prazer, como a dopamina. Assim, começa um processo de compulsão alimentar, como um vício.
Ao lado da mudança alimentar, observamos também uma mudança em relação às atividades físicas. Antigamente, as crianças brincavam nas ruas. Hoje, passam mais tempo sentadas no sofá de olho nas telas. Com isso, não gasta mais calorias do que come.
A qualidade do sono pode ser um fator importante. Estudo de Harvard mostra que o horário de descanso está sincronizado com o relógio biológico da criança. Conforme o estudo, crianças que dormem tarde e acordam cedo para as atividades escolares, apresentam maior concentração de gordura na região abdominal. Manter constante a rotina de sono, dormindo por tempo suficiente, pode prevenir a obesidade, já que o sono garante o desenvolvimento e funcionamento adequado.
Existem ainda, as causas genéticas e hormonais. Filhos de adultos obesos por exemplo, têm mais predisposição à obesidade infantil (as chances chegam a 80%). Variações hormonais ou até mesmo o histórico da gestação da criança podem ter influencias.
E como evitar a obesidade infantil? Uma reeducação familiar para toda a família pode ser o primeiro e mais importante passo para o combate. Estimule a prática de exercícios. Quanto mais cedo a criança começar alguma atividade, maiores as chances dela se tornar uma adulto ativo. Controle o tempo de exposição às telas. Faça rotina de sono. E não menos importante, dê o exemplo. Ser o exemplo é a melhor maneira de ensinar seu filho a cuidar de si e da sua saúde.
Um ótimo domingo e até o próximo!

 

 

Daniele Rezek
Cardiologista
CRM 145.887
RQE 64.850

Compartilhe: