Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

O voto certo: momento histórico batendo às nossas portas

A história do Brasil contada e recontada ao longo de 5 séculos, irá viver hoje uma página de significado ímpar.
Num mundo cheio de controvérsias, misturando guerra ameaçadora com riscos de doenças novas, pandêmicas e fenômenos sociais largamente afetando o comportamento humano, mais do que nunca se faz necessária a intercessão de Deus para proteger a humanidade como um todo.
E quer o destino que nossa Pátria, o Brasil, hoje galgada à visibilidade dentre 10 nações expoentes dessa nova era, mais do que nunca se encontre na rota de esperança para servir o resto na humanidade.
Brasil assim se projeta não pela produção de chips, nem pela exploração do universo, tampouco como fonte de cultura universal modeladora de novas formas de vida. Nossa querida Pátria passa a ser asseguradora de uma garantia alimentar para o resto do planeta.
O momento é de decisão vital e fatal para alavancar sua história promissora e sempre prometida.
E ao decidir em quem votar, com necessidade de cumprir a regra de não recomendar nomes, Deus dá a possibilidade da Luz ser enxergada de maneira óbvia, calcada na revisão consciente da história recente de nosso País, mediante comparações diretas do que é bom com aquilo que não é (ou não foi).
A consciência de cada um permite, nesse fim de campanha eleitoral, assistir argumentos e posturas suficientes para fazer a melhor opção. Poder concluir por quem verdadeiramente fez alguma coisa de bem e de bom, na contrapartida do outro, nas respectivas chances e oportunidades.
O nosso povo, com cabeças capazes de enxergar bem mescladas com outras tantas susceptíveis de serem enganadas e ludibriadas, mais do que nunca, não poderá errar.
Os fatos, os propósitos e as propostas estão sobre a mesa, de forma concreta e evidente, não havendo razão para justificar não ter enxergado.
Muito importante e sério é aprofundar na meditação e decidir, deixando de lado questões menores, sejam relacionadas a perfis humanos de cada candidato, mas colocando rigor ao avaliar virtudes que não podem faltar na missão de conduzir a vida de um povo.
A sinceridade da figura humana, no afã de exercer a difícil missão de cuidar da coisa pública, por vezes pode externar equívocos que não sejam fatais à sua credibilidade e confiabilidade.
O que não pode deixar passar são os vícios de caráter, dos históricos de graves desvios no trato do bem da Pátria, do Direito coletivo ou individual de cada pessoa, em qualquer fase de suas existências.
O que está posto não deixa dúvidas: são perfis completamente diferentes, com fatos e fenômenos registrados claramente, não deixando o brasileiro, mormente o eleitor, na condição de poder errar como qualquer erro do dia a dia.
Um erro movido por questões banais irá transtornar a vida de 210 milhões de gente de fé, de amor à vida e de perfil alegre como nenhum outro povo tem em nosso planeta.
Que seja um dia sagrado e, protegido por Deus, que nosso povo faça a boa escolha que o mundo espera, especialmente aquele não oportunista nem espoliador.

 

 

Dr. Fauze José Daher
Médico / Cirurgião
Advogado

Compartilhe: