Ir para o conteúdo

segunda-feira, 04 de março de 2024

Artigos

O valor do perdão

Bom dia, Barretos!
De todos os sentimentos, o perdão tem quase o mesmo peso do amor. Amar significa paz interior, alegria, sentimento nobre, mas perdoar significa pacificar a alma diante de uma agressão e não desejar mal ao agressor, considerando que tudo foi um ato falho. Perdoar é muito mais que esquecer é apagar da mente a agressão sofrida, perdoar não é ir para a desforra, não praticar a lei do “Olho por olho. Dente por dente”. É continuar a tratar o agressor como um ser humano, passível de cometer desatinos, como nós também estamos sujeitos em algum momento de pratica-los. Cristo do alto da cruz, no auge do sofrimento, sendo crucificado, olhou para o céu e disse; “Pai perdoai os porque não sabem o que fazem”, numa demonstração de amor e perdão. Aliás amor e perdão sempre andam juntos, pois o perdão é uma forma de amor. Perdoar é divino, e nos aproxima do Criador por ser um sentimento positivo, enquanto a vingança, o ódio, o rancor são pensamentos negativos e que acabam fazendo mais mal a quem os carrega do que a quem são dirigidos. Ficar remoendo as agressões sofridas e os momentos de angustia nos tornam amargos e afeta profundamente nosso ego. Já quando perdoamos não da boca para fora, mas de dentro de nosso coração um profundo sentimento de paz interior nos invade e nos sentimos muito melhores. Sempre que alguém dá o troco, um pouco do rancor e da insatisfação permanece em seu ser e sua paz interior fica comprometida. O sentimento do perdão deve ser cultivado a cada dia, para ser explicitado quando for necessário.
Aproveite o final de semana para pensar um pouco sobre a nobreza do sentimento do perdão.
Perdoar é amar duas vezes e buscar a paz de consciência, em vez de comprometê-la com uma fermentação negativa alimentada pelo sentido da vingança que nunca nos traz felicidade. Bom final de semana e que o perdão floresça em seu coração.
Bom dia, Barretos.

Compartilhe: