Ir para o conteúdo

segunda-feira, 24 de junho de 2024

Artigos

O testemunho de fé de monsenhor JonasAbib

O Brasil perdeu uma das grandes lideranças religiosas da Igreja Católica, que certamente terá seu processo de beatificação aberto, pela sua obra evangelizadora, em nosso tempo: monsenhor Jonas Abib. Ele fez parte de uma geração de padres compositores e cantores, que alcançou especialmente os jovens, não apenas com a sua mensagem, em canções e pregações, simples e profundas, mas principalmente pelo exemplo de vida, como sacerdote e empreendedor, fundador da Canção Nova, com sede em Cachoeira Paulista, no interior de São Paulo. De formação salesiana, o padre Jonas Abib, tornado monsenhor pelo papa Bento XVI, se destacou buscando evangelizar com os meios de comunicação, primeiro com a Rádio e depois a TV Canção Nova, que se tornou uma referência (junto com a Século 21 e Aparecida), da comunicação católica de massa no País.
“O padre Jonas Abib é uma figura rara. Fará falta em nosso meio. Um gigante em sua ação pastoral, um evangelizador nato. Um homem que acreditou no chamado de Deus e construiu um verdadeiro império de comunicação a partir deste chamado”, afirmou o leigo orionita Antonio Carlos de Melo Sá (Toninho Kalunga), e ressaltou: “Não há católica ou católico brasileiro neste momento histórico que frequentem uma comunidade que não passe pela base formativa da Canção Nova, de forma direta ou indireta, no sentido de sua influência. A Canção Nova é certamente o maior centro católico de comunicação do Brasil”. Não apenas como pioneiro, mas soube o monsenhor Jonas Abib imprimir com seu carisma pessoal a direção espiritual em sua grande obra de comunicação, entendendo que teria utilizar os meios tecnológicos disponíveis para difundir a um número maior de pessoas, a mensagem do Evangelho. Ele e Pe. Léo são tidos como dois sacerdotes que certamente poderão ser canonizados, no futuro, como frutos de uma obra, que respondeu aos desafios do tempo, com a coerência de vida e autêntico testemunho de fé.
Completa Antonio Carlos de Melo Sá sobre o carisma e o legado do monsenhor Jonas Abib: “Este é o aprendizado. Que queiramos uma Igreja inserida no meio do povo, que seja profética e que fique indignada com cada injustiça praticada contra os pobres. Mas que seja profundamente alegre, que não abra mão de uma espiritualidade ativa e altiva, que possa levar Deus para além das mazelas humanas e que, sem abrir mão de defender a dignidade da vida e vida em abundância para todos os filhos e filhas de Deus, possa também garantir uma espiritualidade que seja libertadora e todos os dias renovada, para que, finalmente, possamos pensar nas pessoas em sua integridade, física, intelectual e espiritual, pois não será carismática se não levar à libertação deste sistema que oprime e mata o corpo e a alma. E assim era monsenhor Jonas Abib”. Rezemos para que mais sacerdotes se espelhem no seu exemplo e que o Monsenhor Jonas Abib agora interceda por nós, para que a Igreja prossiga em sua missão de anunciar o Evangelho da vida.

 

 

 

Valmor Bolan é Doutor
em Sociologia. Professor
da Unisa. Ex-reitor e
Dirigente (hoje membro honorário)
do Conselho de Reitores
das Universidades Brasileiras.

Compartilhe: