Ir para o conteúdo

quarta-feira, 21 de fevereiro de 2024

Artigos

O talento além do esperado.

Em pleno século XXI, discutir sobre inclusão é um assunto amplo e imprescindível .
Você sabia?
O aluno com Altas Habilidades/ Superdotação se destaca por ter uma habilidade mais avançada que os outros, demonstrando interesses atípicos. No entanto, estando diante a uma variedade de avanços é possível almejar pelo sucesso desses alunos.
Salientando a dimensão da LDB 4024, a Secretaria de Estado da Educação do Paraná criou o serviço de Educação de Excepcionais em 1961. Com uma demanda grande de alunos superdotados ,foi reestruturada atendendo as necessidades das áreas de Deficiência Auditiva, Deficiência Física Não Sensorial, Deficiência Mental, Deficiência Visual, Altas Habilidades e Condutas Típicas.
E em 1988 foi onde a Organização atual do atendimento a alunos com Altas Habilidades/Superdotação originou se cursos de capacitações para profissionais havendo mais direções para os envolvidos desenvolver um trabalho com esses alunos.
Sendo encaminhado no ano de 2003 normas e orientações para a Educação Especial, assim definindo e concretizando o Atendimento para alunos com AH/SD.
Extremamente inteligentes em alguma área de conhecimento ,essas crianças precisam de acompanhamento para desenvolver suas habilidades ,em consequência trabalhar os outros aspectos ,autonomia , comportamento , disciplina .
Mas é de notável nitidez que o ensino especializado carece de recursos pois é necessário materiais e tecnologia para atender os alunos. Desigualdade é a palavra destinada ao ensino público, saúde pública as barreiras são maiores.
No Brasil, especialmente nos últimos anos, observou-se, sob o controle do governo, o desenvolvimento de um extenso programa de assistência médico-social compulsório para as classes assalariadas, para programa esse que, apesar de vir atender a uma razoável parte de nossa população, não pode ainda cogitar da grande massa constituída pelos habitantes da zona rural, os quais por não trabalharem em regime regular de emprego, não sendo portanto obrigados a contribuir para as organizações de seguro médico-social, veem-se, em sua maioria, totalmente desprovidos de qualquer tipo de assistência médico-sanitária, a não ser, aqui e ali e assim mesmo muito mal, aquela que é prestada pelos serviços oficiais de saúde e pelas instituições de caridade. (Candau & Braga, 1984: 59)
Enfim , em geral a superação estimula as potencialidades, melhora os relacionamentos, a comunicação além da satisfação de todos os envolvidos.

 

 

Natália Macedo,
escritora e professora.

Compartilhe: