Ir para o conteúdo

sexta-feira, 02 de maio de 2014

Artigos

O prazer e a alegria

Todos buscamos a felicidade, e todo o nosso ser está orientado por ela, pois fomos criados para ser felizes. Prazer é a felicidade material. Enquanto a alegria interior é a felicidade da alma.
Ficamos tristes quando buscamos apenas o prazer, pois o vivemos alguns instantes e ele se acaba. O prazer nunca nos sacia, nos satisfaz.
A alegria é espiritual e portanto não pode morrer.
Diante das dificuldades da vida, dos sofrimentos, da morte, nós temos o direito de chorar, mas nunca o direito de nos separar da alegria. O prazer, com efeito, não pode existir onde há o sofrimento, enquanto a alegria pode assumir as maiores dores.
O prazer não é um mal, se não for procurado como finalidade e até nos ajuda em nossa caminhada, mas é a alegria, que sempre se origina em nosso interior e se irradia aos que nos rodeiam, que deve ser a nossa maior preocupação, a razão de nossa vida.
Quando buscamos a felicidade nos deparamos com dois obstáculos: o homem é limitado em seus meios de procura, e infinito em seu desejo, especialmente material. Desta forma, humanamente não podemos ser plenamente felizes. Só Deus pode nos satisfazer.
No coração do homem inquieto, a busca da felicidade não é senão a busca de Deus. Ai dos saciados, que empanturrados de prazer, não vão em busca da alegria interior. Felizes, ao contrário, aqueles que ainda têm fome.
A quantas anda seu amor a Deus?
É a intensidade desse amor que mede a vitalidade de sua alegria interior, de sua verdadeira felicidade!

Compartilhe: