quarta-feira, 25 de novembro de 2020

Artigos

O peso da responsabilidade na hora de fazer o seu papel

Ações individuais podem evitar acidentes e caos na saúde

Quantos desafios estamos enfrentando hoje em dia, vivendo uma pandemia inédita para a nossa geração e que nos impõe novas realidades todos os dias? Eu sei que muitos e compartilho desta mesma opinião, tanto em minha esfera profissional, como também pessoal, uma vez que estou na linha de frente de combate a Covid-19 em meu trabalho na UTI do Hospital São Jorge e em nenhum momento deixo de ser pai, marido, filho, irmão, humano. E, neste período tão complexo, tem sido uma grande satisfação poder oferecer o melhor atendimento em saúde, por meio do Hospital São Jorge, mas também trazer informação por meio deste valioso espaço que o HSJ tem no Jornal de Barretos Regional todos os domingos.

E hoje eu quero falar sobre responsabilidade e segurança, sobre cada um fazer a sua parte. Gostaria de homenagear a todos os profissionais de saúde que estão cada vez mais incansáveis na busca pelo melhor para os pacientes de todo o mundo, sejam eles com Covid-19 ou outras doenças, mas também quero ressaltar o quanto pequenas iniciativas individuais ou de comunidades têm feito a diferença quando o assunto é melhorar, não só a sua própria vida, como a vida do outro. E nesta última citação agradeço a todos que estão contribuindo com a campanha do HSJ em prol da Casa Transitória André Luiz ou outras ações sociais, mas sem esquecer quem tem feito de pequenos atos, grandes mudanças. Nossa cidade entrou em uma fase menos crítica nos números da pandemia e aos poucos, vamos retomando as atividades de alguns estabelecimentos ou empreendedores individuais a quem eu desejo forças. Além deste meu desejo, eu espero ação de todos que podem comprar destas pessoas, comprem e ajudem na manutenção não só da saúde, mas também da vida e ganha pão de muitas pessoas.

Mas, se tem uma coisa que eu espero ainda mais é: responsabilidade. Que as pessoas não deem chances ao azar, que consumam de modo consciente, que evitem aglomerações, que lavem bem as mãos e busquem o médico quando necessário, sem descuidar da saúde de rotina. Recentemente, uma realidade que eu não tinha pensado anteriormente, me veio à tona por meio do noticiário nacional. Segundo a Sociedade Brasileira de Queimaduras (SBQ), começam a ser registrados acidentes que antes não existiam: os de queimaduras que envolvem o uso do álcool em gel. Os casos são recentes e ainda não existem estudos que relacionem os dados aos novos comportamentos impostos pela pandemia, mas, é bastante simples chegar à conclusão de que não vivemos anos com hábitos iguais aos dos anteriores. A notícia dá conta de que a maioria das pessoas que sofreram queimaduras com álcool, em forma líquida ou gel, realizaram a higiene das mãos e braços e depois chegaram perto de uma fonte de calor, como fogões, churrasqueiras, lareiras ou velas, por exemplo. Isso mostra que, o que parece óbvio para muitos, não é para outros ou não deixa de fazer vítimas mesmo com conhecimento. Em casa, água e sabão são suficientes para a higiene das mãos e corpo.
Lamento muito este tipo de ocorrido, uma vez que queimaduras são problemas extremamente delicados e que exigem tratamento específico, sem receitas caseiras, mas sim seguindo as indicações de um médico.
E aqui podemos abrir um parêntese para dizer que uma recente decisão da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) flexibilizou a comercialização de álcool em concentração de 70% em sua forma líquida até setembro deste ano por conta da pandemia, mas podemos concordar que muitas coisas podem ser evitadas com informação e consciência?

 

Em casa, utilize água e sabão para higiene de mãos e corpo

Use máscara sempre que sair de casa

Ao utilizar álcool e depois, não chegue perto do fogo

Prestigie o comércio local

Evite aglomerações

Faça doações

Dr Jorge Chade Rezeck CRM 140.333

 

Compartilhe: